Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Libertadores: Em final, Flamengo e Palmeiras disputam hegemonia do futebol sul-americano

Fla e Verdão fazem primeira final da história com dois últimos campeões da Libertadores

Lucas Ayres
Colaborador do Torcedores

Crédito: Divulgação/Conmebol

Flamengo e Palmeiras fazem, neste sábado (27), aquela que deve ser uma das maiores finais da história da Copa Libertadores da América. O currículo, ao menos, é grandioso: o confronto entre o atual bicampeão do Brasileirão com o atual detentor da “Tríplice Coroa” do futebol brasileiro, além de ser a primeira vez que os dois últimos campões do torneio se enfrentam numa decisão.

O “cartão de visitas” parece estar alinhado com o tamanho de fato da partida, disputada entre os dois mais bem-sucedidos times dos últimos cinco ou seis anos do futebol brasileiro — e que define, claro, o campeão da maior competição da América da Sul.

As credenciais da final da Libertadores 2021 também reforçam uma sensação de “fim de capítulo” para Flamengo e Palmeiras. Nele, o encerramento da primeira parte da história do nascimento de uma rivalidade entre gigantes, em meio a duas reconstruções paralelas.

As reconstruções de Flamengo e Palmeiras

Se partimos de 2013, por exemplo, temos o Fla com uma contenção extrema de gastos, com uma fuga “na risca” do rebaixamento e um título improvável da Copa do Brasil. No mesmo ano, o Verdão vencia a Série B e também começava a apertar os cintos para repetir o hoje rival no ano seguinte, quando escapou do Z4 da Série A de 2014 na última rodada.

Passado os apertos, rubro-negros e alviverdes começaram, a partir de seus respectivos poderios — o potencial financeiro da enorme massa de sua torcida, para o primeiro, e os precisos acordos e projetos financeiros para o segundo —  a montar os rascunhos dos poderosos elencos de hoje. Em 2015, por exemplo, Dudu chegou ao Allianz Parque, enquanto em 2016 Willian Arão e Diego chegaram na Gávea.

Este 2016, aliás, é o ano em que as reconstruções se chocam e iniciam a atual rivalidade. Com elencos já mais abastecidos, Flamengo e Palmeiras brigam ponto a ponto pelo Brasileirão, se provocam mutuamente e indicam que passarão a dominar o futebol brasileiro, como de fato se sucedeu em 2018, 2019 e 2020 — em 2017, uma demonstração de força um tanto esquecida, com o Verdão arrancando no final do Brasileiro para quase tirar o título “certo” do Corinthians e o Fla chegando nas finais da Copa do Brasil e da Copa Sul-Americana.

Disputa pela hegemonia

O caminho percorrido por Flamengo e Palmeiras, desde o decisivo ano de 2016, mostra que a rivalidade foi, de fato, bem além das provocações. Juntos, os dois conquistaram praticamente a metade (8 de 18, 44%) dos grandes título disputados no futebol brasileiro, no caso o Brasileirão, a Copa do Brasil e a Libertadores — o oitavo troféu, é bom dizer, já é o decidido neste sábado.

Assim, não é um exagero dizer que a disputa pela “Glória Eterna” de 2021 seja, ao mesmo tempo, uma batalha pela hegemonia do futebol brasileiro, ou mesmo sul-americano, dado o domínio que os clubes do Brasil exerceram sobre as competições da Conmebol nesta temporada.

Para o Palmeiras, a hegemonia seria até mais literal. Com já quatro títulos conquistados no período, o clube paulista é quem tem mais títulos. Se chegar em cinco, se isola ainda mais, até mesmo se aumentarmos o recorte para 2013, quando o Flamengo levou a Copa do Brasil (no caso o Verdão somaria seis).

Já para o Rubro-negro, significaria empatar com o Alviverde em quatro conquistas, mas todas elas obtidas num espaço de três anos. Uma grande demonstração de poder e um desenho brilhante para o futuro.

O futuro pós final da Libertadores

Por falar em futuro, este é um aspecto preponderante para a decisão da Libertadores de 2021. Afinal, o que também reforça a ideia de “fim de capítulo” é o fato de que a história continuará. Rivalidade e provocações à parte, a perda da final neste sábado parece longe de representar o “fim do mundo” para Flamengo ou Palmeiras.

O vice-campeonato pode, de fato, acelerar ajustes e reformulações de elencos já mais longevos, mas que já devem acontecer independentemente do resultado da partida no Uruguai. Além disso, ambos os times atingiram um patamar financeiro e estrutural que os fazem estar não só distantes de depender da conquista do torneio como também próximos de repetir esse embate no futuro.

De qualquer maneira, a grande decisão deste sábado deve ser um dos grandes pilares da rivalidade para os anos que se seguem. Afinal, como todo bom capítulo de um livro ou seriado, o final é sempre o mais lembrado.

HOJE, às 15h30, tem Palmeiras x Flamengo no SBT, a grande Final da Libertadores 2021. Acompanhe pela tv ou www.sbt.com.br/aovivo #GrandeFinalnoSBT

LEIA TAMBÉM

Libertadores: Relembre todas as campanhas do Palmeiras na competição

Libertadores: Relembre todas as campanhas do Flamengo na competição

Como final entre times brasileiros da Libertadores influencia no Brasileirão?

Prestígio: Libertadores é o torneio de maior premiação da temporada em 2021

Brasileirão Série A 2021: confira a tabela completa do campeonato

Brasileirão Série B 2021: confira a tabela completa do campeonato

Black Friday do futebol bomba na Web; veja os melhores memes;

Arrascaeta na Arábia, Luiz Adriano de saída e Soteldo na Série A: veja os rumores da semana

Presidente Bolsonaro está proibido de ir assistir a final da Libertadores

Final da Libertadores: O que acontece se Palmeiras x Flamengo acabar empatado?