Home Mídia Esportiva Flavio Ricco destaca falta de coberturas in loco em transmissões esportivas

Flavio Ricco destaca falta de coberturas in loco em transmissões esportivas

Jornalista aponta motivos para essa nova tendência dentro das emissoras

Carlos Lemes Jr
Olá! Sou Carlos Lemes Jr e sou Jornalista formado, desde 2012, e no Torcedores, desde 2015. Matérias exclusivas pelo site publicadas nos portais IG, MSN e UOL. Escrevo sobre: futebol, mídia esportiva, tênis e basquete. Acredito que o esporte seja uma ótima ferramenta de inclusão, pois, sou cadeirante. Então, creio que uma das minhas "missões" aqui no Torcedores seja cobrir esporte paralímpico. Hobbies: ler, escrever e escutar música.
Flavio Ricco apontou também que a facilidade de se ter uma boa imagem, de qualquer lugar, dificulta investimentos mais pesados das emissoras

Jornalista Flavio Ricco (Reprodução/Link Podcast)

PUBLICIDADE

Mesmo com o mercado de mídia esportiva agitado, no que se refere aos direitos de transmissão, o experiente critico e jornalista, Flavio Ricco, sente falta de mais coberturas in loco nos eventos.

“O que deixou de existir, e isso em todos os esportes, é uma maior cobertura “in loco”, mais abrangente, responsável por enriquecer todo e qualquer trabalho jornalístico. O estar na hora certa, no lugar certo.”, avalia Flavio, em sua coluna no Portal R7.

No mesmo texto, o profissional aponta alguns motivos para essa mudança de postura, por parte das emissoras.

PUBLICIDADE

“Se de um lado, as dificuldades ficaram muito maiores, entre custos de direitos e deslocamentos, um certo comodismo também passou a tomar conta.”, continua.

Jornalista vê tendência continuar na Copa do Mundo de 2026

Olhando para a próxima Copa do Mundo, Flavio Ricco prevê que essa, dita por ele, ‘acomodação’ irá se manter ou até aumentar.

“E não falam que não há nada que tá ruim, que não possa ficar pior? Pois é de se imaginar a próxima Copa do Mundo, em 2026, nos Estados Unidos, Canadá e México. Serão 44 equipes, 104 jogos em 16 estádios diferentes. Vai começar em 11 de junho e terminar em 19 de julho. Parece um exercício de exclusão. No nosso quintal, por exemplo, a Globo, que é a Globo, já comprou, mas não com exclusividade. E já se fala em um trabalho muito mais enxuto.”, finaliza na coluna.

CazéTV mandou equipe para jogo do Corinthians

Para se ter um exemplo, na contramão de toda essa análise, a CazéTV tem mandado equipes para transmissões in loco do Paulistão: no último domingo, 11 de fevereiro, o narrador Luis Felipe Freitas e o comentaristas convidados Christian e Diogo estiveram na Neo Química Arena. Eles transmitiram a vitória do Corinthians sobre a Portuguesa por 2 a 0.

PUBLICIDADE