Home Futebol Bruno Prado comenta suspensão de Gabigol: “Ele vai ter que se virar”

Bruno Prado comenta suspensão de Gabigol: “Ele vai ter que se virar”

Comentarista acredita que período de desfalque é consequência de comportamento do atacante

Beatriz Ojeda
Ex-atleta, formada em Letras e apaixonada por esportes desde sempre. Colaboradora do Torcedores por ser o melhor lugar para aliar as duas grandes paixões.
Gabigol

Gabigol, do Flamengo, reage após a partida entre Fluminense e Flamengo pelo Brasileirão Série A 2023 (Meier/Getty Images)

Gabigol não vive bom momento na carreira. Com renovação frustrada no Flamengo, frequentemente reserva sob o comando de Tite e agora com uma suspensão de dois anos por tentativa de fraude no exame antidoping e pode ficar fora durante dois anos. Para Bruno Prado, as atitudes polêmicas do jogador podem ter contribuído com o resultado.

PUBLICIDADE

Bruno Prado comenta atitudes de Gabigol na suspensão

Durante o programa Bate Pronto da Jovem Pan Esportes, o comentarista esportivo foi questionado se Gabigol poderia ter evitado problemas durante o exame antidoping. Após não fazer a avaliação quando solicitado pelo staff, não seguir as orientações, entre outras questões.

Bruno Prado foi enfático sobre a possibilidade da atitude frequentemente “marrenta” do jogador e disse: “É um problema que ele poderia ter evitado, mas também acho a pena bem excessiva. Não tem um teste positivo, o jogador estava dopado, é justo que tenha uma pena longa. Se não está, eu acho bem exagerado (…). Ele vai ter que se virar para se livrar dessa punição, diminuir, enfim, agora o recurso é só na Suíça”.

PUBLICIDADE

O comentarista esportivo aponta que Gabigol tem culpa no resultado, por não ter seguido o procedimento, mas acredita que a punição é exagerada. Bruno Prado também destaca que, embora ache a punição excessiva, como participante da mídia esportiva, não significa em nada, pois se a regulamentação determina, esse período terá que ser cumprido.

Em comunicado, o atacante se posicionou: “A despeito do meu respeito pelo Tribunal, reitero que jamais tentei obstruir ou fraudar qualquer exame, e confio que serei inocentado pela instância superior. Estou decepcionado com o resultado do julgamento, mas seguirei cooperando com as autoridades esportivas e confiante de que minha inocência será comprovada e restabelecida pela instância superior”.