Home Futebol Casagrande adota discurso “sincerão” sobre futuro de Neymar: “Me mostra”

Casagrande adota discurso “sincerão” sobre futuro de Neymar: “Me mostra”

Comentarista não vê foco do camisa 10 em conseguir volta por cima na carreira

Bruno Romão
26 anos, jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba, amante da escrita, natural de Campina Grande e um completo apaixonado por futebol. Contato: [email protected]
Neymar foi alvo de aviso de Casagrande.

Neymar comemora gol pelo Brasil nas Eliminatórias (Vitor Silva/CBF)

Compreendendo o status de ídolo de Neymar, Casagrande ainda vê brecha para uma importância do craque na seleção. Porém, para o cenário virar realidade, o ex-jogador fez questão de sinalizar que situações extracampo precisam ser deixadas totalmente de lado no ciclo da Copa do Mundo de 2026.

PUBLICIDADE

“Como não aparece ninguém, se fica preso ao último ídolo. Eu entendo as pessoas que ainda vêem o Neymar como a grande solução na seleção brasileira. Nós não temos nada. Se o Neymar estiver bem, sério, querendo jogar bola, não ficar se jogando no chão e não ser celebridade e influencer, ele pode ser muito útil.”, disse Casão ao canal “Futeboteco“.

Apesar da projeção, Casagrande não enxerga Neymar com um foco na reta final da carreira. Atualmente se recuperando de lesão no joelho, o camisa 10 será ausência na Copa América e vai precisar de tempo para readquirir ritmo de jogo no Al-Hilal.

PUBLICIDADE

“O Neymar só vai fazer bem para algum time se ele estiver a fim de jogar bola, treinar e tiver outro objetivo sem ser fazer dinheiro. Ele não se esforça para conquistar esses objetivos (…) Se ele esquecer que é influencer, pode conquistar alguma coisa.”

“Mas se você me perguntar se eu acredito, eu falo que ‘não’. Não vejo (força de vontade). Nenhum foco. Se alguém ver foco dele, me mostra. Tira uma foto e me mostra. Não adianta ficar postando vídeo de treinamento uma vez por mês.”, sinalizou.

Casagrande rechaça “perseguição” contra Neymar

Crítico da postura de Neymar, Casagrande lembrou que costumava apoiar o atacante durante o período no Santos e Barcelona. Antes do acerto envolvendo o PSG, o comentarista fez questão de alertar sobre o equívoco na carreira do craque, que deixou o time parisiense sem o legado esperado.

“As pessoas falam que eu persigo o Neymar, e eles esquecem quantas vezes eu elogiei o Neymar. Até ele chegar no Barcelona, eu só elogiei o Neymar. Quando ele foi para o PSG, eu fui um dos poucos que disse: ‘Ele está dando um passo errado e indo para um time sem peso na camisa’. Eu falei naquela época.”, recordou.

PUBLICIDADE