Home Futebol Marcelo aponta atacante do Brasileirão que é “mistura de Ronaldo e Romário” 

Marcelo aponta atacante do Brasileirão que é “mistura de Ronaldo e Romário” 

Ex-Real Madrid ressaltou a importância que o técnico Fernando Diniz exerce no processo de melhoria do jovem jogador

Bruno Romão
26 anos, jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba, amante da escrita, natural de Campina Grande e um completo apaixonado por futebol. Contato: [email protected]
Marcelo.

Marcelo, lateral-esquerdo do Fluminense (LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.)

Dono de uma grande experiência no futebol, Marcelo esteve ao lado de vários craques na Europa. Ao retornar ao Brasil, para jogar no clube que o projetou, o ídolo do Real Madrid se impressionou com um jovem que estava em busca de uma volta por cima no Fluminense. Em entrevista ao Podpah, o camisa 12 fez questão de exaltar o futebol de John Kennedy.

PUBLICIDADE

Herói do Tricolor na conquista da Libertadores, John Kennedy costuma deixar Marcelo encantado nos treinos. Neste cenário, o lateral-esquerdo acredita que o atacante é uma junção de Ronaldo e Romário, tendo em vista a capacidade de ser efetivo dentro e fora da área.

“Eu já falei isso várias vezes. Ele e o Martinelli são dois jogadores que, quando eu entrei no Fluminense, eu vi que eles eram diferentes. O John Kennedy é iluminado. Para mim, ele é a mistura de Ronaldo com Romário.”, disse Marcelo.

PUBLICIDADE

“Não estou comparando (o nível), mas como ele conduz a bola e as características. Se tu ver um treino do moleque, tu fala: ‘o moleque é a mistura dos dois’, é bizarro. Arrancada, força, corta, chuta de bico, cavada… é bizarro, e ele é iluminado.”, completou.

Marcelo quer ajudar John Kennedy no Fluminense

Antes de marcar o nome na história do Fluminense, John Kennedy lidou com problemas extracampo. Como o atleta ainda tem apenas 21 anos, Fernando Diniz e as principais lideranças do Tricolor são importantes para que o centroavante esteja focado na carreira e não se desvie do atual caminho.

“Ele tá indo por um bom caminho. O Diniz ajuda muito ele, e a gente tenta ajudar também para ele ver que o futebol não é eterno. Tem uma hora que vai chegar no final e tem que se estar preparado para isso.”, contou.