Home Futebol Neto cogita demissão de treinador antes do Brasileirão: “Corre risco” 

Neto cogita demissão de treinador antes do Brasileirão: “Corre risco” 

Ex-jogador apontou que derrota em estreia na Libertadores pode acabar confirmando desligamento

Bruno Romão
26 anos, jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba, amante da escrita, natural de Campina Grande e um completo apaixonado por futebol. Contato: [email protected]
Craque Neto.

Neto, apresentador da Band (Reprodução)

Pressionado após a eliminação do São Paulo no Paulista, Thiago Carpini está ciente que pode ficar ainda mais na corda bamba. Mesmo fora de casa, o Tricolor busca um triunfo diante do Talleres, pela Libertadores, para que os ânimos fiquem mais calmos às vésperas do pontapé de início do Brasileirão.

PUBLICIDADE

Saindo em defesa do treinador, Neto considera que, caso o SPFC estivesse com um estrangeiro, o clima seria diferente. Além disso, o apresentador mencionou a situação de James Rodríguez, já que Carpini vem sendo criticado pela falta de oportunidades para o colombiano se firmar entre os titulares.

“Os treinadores que vêm da Europa ganham em euro. A multa deles é muito forte. Não sei se é uma das coisas que deixam eles com mais força… Se fosse o Abel, Caixinha ou Sampaoli no São Paulo, estaria essa crise? Quantas vezes esses treinadores de fora deixaram os craques (no banco), e eu não acho o James Rodríguez craque.”, disse Neto, na Rádio Bandeirantes.

PUBLICIDADE

“O Sampaoli deixa todo mundo (no banco), o Vítor Pereira também, o Abel já deixou… mas o Thiago Carpini não pode fazer isso, e já corre o risco de cair.”, prosseguiu.

Em caso de derrota fora de casa, Neto cogitou a possibilidade de Carpini ser demitido no São Paulo. Utilizando o período sem jogos para corrigir os erros, o técnico pode escalar James Rodríguez e Lucas Moura juntos na equipe.

“Se perder pro Talleres, eu não sei, não…”, alertou Neto.

Casares respalda Thiago Carpini no SPFC

Sem levar em conta a queda precoce no Paulistão, o presidente do São Paulo fez questão de blindar Carpini. Como houve uma forte convicção no momento da escolha pelo profissional, o projeto em questão, na visão do mandatário máximo, é bastante promissor e não pode ser interrompido.

PUBLICIDADE

“Nós temos que avaliar com serenidade. Se nós tínhamos a convicção ao contratar o Carpini, não tem sentido postular uma eventual discussão sobre a saída dele. Há normalidade, há trabalho, e focar no trabalho de 2024.”

“Se nós tínhamos a convicção de trazer o Carpini depois de muitos estudos, não teria sentido agora por causa de uma desclassificação rasgar tudo que foi feito.”, afirmou Casares à ESPN.