Home Futebol PVC exalta Zubeldía após estreia do SPFC: “Mudou tudo”

PVC exalta Zubeldía após estreia do SPFC: “Mudou tudo”

São Paulo de 2024 conseguiu o que o time histórico de 1992, campeão com Telê Santana, não conseguiu na Libertadores

Matheus Camargo
Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), colaborador do Torcedores.com desde 2016. Radialista na Paiquerê 91,7.
Zubeldía, São Paulo

Zubeldía deixa o estádio em Guayaquil após estreia pelo São Paulo (Rubens Chiri/saopaulofc.net)

A estreia de Luis Zubeldía empolgou torcedores do São Paulo, especialmente pela boa atuação da equipe na vitória por 2 a 0 sobre o Barcelona-EQU, em Guayaquil. O comentarista Paulo Vinícius Coelho, o PVC, em sua coluna do UOL Esporte, destacou que o Tricolor “vive entre o encantamento e o realismo com Zubeldía”.

PUBLICIDADE

PVC chamou a atenção para a série de mudanças de Zubeldía no São Paulo logo para sua estreia, passando pela atitude e pelo astral e chegando até mesmo ao sistema tático. O time foi a campo sem os três zagueiros habituais e sim com uma linha de quatro atacantes: André Silva, Luciano, Ferreira e Calleri.

“Luis Zubeldía mudou tudo no São Paulo. O humor, o astral. Não é culpa de Carpini, mas do ambiente que se criou por três semanas, enquanto se sabia que a permanência do trabalho escolhido em janeiro não seria mantido”, destacou PVC, que seguiu sobre a melhora do SPFC.

PUBLICIDADE

“O ambiente melhorou, taticamente funcionou, mas o realismo persiste. Internamente, sabe-se que o início de Zubeldía é promissor, mas é só o primeiro jogo. Importante. Zubeldía tem conteúdo e isto dá esperança.”

São Paulo conseguiu vitória que time de Telê não conseguiu

Após 32 anos, o São Paulo conseguiu algo que o time campeão da Libertadores de 1992, com Telê Santana, não havia conseguido, sendo lembrou PVC.

Aquela equipe se classificou à final da Copa Libertadores mesmo com derrota para o time equatoriano em Guayaquil.

“O time jogou bem em Guayaquil e conseguiu o que Telê Santana não fez: ganhou do Barcelona, no Equador. Em 1992, o São Paulo meteu 3 x 0 no Barcelona, no Morumbi, mas perdeu por 2 x 0 lá, nas semifinais. Classificou-se pelo saldo de gols”, relembrou PVC.

PUBLICIDADE