Home Futebol PVC aponta contradição de presidente do Corinthians sobre empresário; entenda

PVC aponta contradição de presidente do Corinthians sobre empresário; entenda

Comentarista destacou pergunta do colega Rodrigo Vessoni e resposta confusa de Augusto Melo em coletiva de imprensa

Matheus Camargo
Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), colaborador do Torcedores.com desde 2016. Radialista na Paiquerê 91,7.
Augusto Melo, Corinthians

Augusto Melo em entrevista coletiva no Corinthians (Jozzu / Agência Corinthians)

Paulo Vinícius Coelho, o PVC, destacou uma das respostas de Augusto Melo, presidente do Corinthians, em entrevista coletiva concedida nesta segunda-feira (10), no CT Joaquim Grava, ao ser questionado por Rodrigo Vessoni, repórter do canal Meu Timão, sobre o empresário Igor Zveibrucker, que teria emprestado um valor milionário ao clube.

PUBLICIDADE

Vessoni questionou sobre a relação de Augusto Melo com o empresário e sobre suas aparições no CT do clube, mesmo sem ter cargo.

PVC chamou a atenção para as respostas contraditórias do mandatário alvinegro e sobre incômodo ao falar sobre o assunto.

PUBLICIDADE

“O repórter Rodrigo Vessoni, do portal Meu Timão, perguntou qual a razão de o empresário Igor Zveibrucker estar sempre presente ao Centro de Treinanemto Joaquim Grava, e se emprestou dinheiro ao Corinthians. Augusto Melo começou a resposta dizendo que “ele é gente boa.””, lembrou PVC sobre a interação na entrevista coletiva.

“Em seguida, retrucou a premissa da questão: “Quando ele esteve aqui?” Vessoni respondeu: “Na entrevista coletiva do Cássio, por exemplo, ele estava aqui.” Como se fosse um menino flagrado numa travessura, Melo retrucou: “Mas não é todo dia, como você está dizendo.” Este é só o primeiro exemplo das contradições de Augusto Melo em sua desastrada e tensa entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira.”

PVC aponta Augusto Melo enfraquecido na política do Corinthians

Eleito com apoio da maioria das chapas no Corinthians, Augusto Melo tem perdido força e viu o Movimento Corinthians Grande (MCG), que tinha Rozallah Santoro e Fernando Alba como diretores, desembarcar da situação do clube.

Para PVC, o fato de Augusto Melo atribuir à oposição a crise no clube não deixa claro como seu momento não é viável em meio aos problemas políticos do Corinthians.

PUBLICIDADE

“Melo atribui as notícias à oposição, sem notar que, neste momento, os grupos descontentes devem ser numerados assim, no plural. Não há mais oposição, mas oposições”, escreveu PVC em sua coluna do UOL.

“São dezesseis grupos políticos no Parque São Jorge, nove escolheram Augusto Melo para a presidência, pelo menos dois já deixaram de apoiar.”

18+ | Jogue com responsabilidade | Aplicam-se os Termos e Condições | Conteúdo comercial