De Gabigol a Caio Ribeiro: relembre 14 jogadores com passagem pelo Flamengo que fracassaram na Europa

Além de Gabriel e Caio, lista é composta por nomes importantes, como Athirson e Marcelinho Carioca

Wilson Pimentel
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Foto: Alexandre Vidal /Flamengo

O Brasil é um dos maiores celeiros de craques do futebol mundial. Historicamente, todos os jogadores que despontam em solo tupiniquim recebem propostas para atuar no exterior. Afinal, o desejo que habita os sonhos de nossos craques é a Europa. Nas últimas cinco temporadas, o Flamengo se tornou o maior vendedor de joias da base. Nesse período, o clube arrecadou milhões com as vendas de Jorge, Lucas Paquetá, Felipe Vizeu, além de Vinícius Júnior.

Cartão de crédito sem anuidade? Abra sua conta Meu BMG agora!

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Por outro lado, a diretoria rubro-negra também tem investido na contratação de jogadores que chegaram com status de craque ao Velho Continente. Porém, não conseguiram se firmar em países como Alemanha, Espanha, França, Inglaterra, Itália e Portugal. Com isso, nem todos conseguiram ter o mesmo sucesso, principalmente, quando são contratados por grandes equipes como Manchester United, Milan e Real Madrid. Quando a carreira sofre um revés, uma das soluções encontradas pelos empresários e encontrar um clube brasileiro.

Os exemplos mais recentes são Gabriel Barbosa, Gerson e Pedro. Após fracassarem no futebol italiano, os jogadores foram contratados pelo Flamengo. O Torcedores.com relembrou alguns dos jogadores que fracassaram na Europa, mas que em algum momento vestiram a camisa rubro-negra.

1 – Gabriel Barbosa: o novo ídolo do Flamengo

Maior astro do Flamengo na atualidade, Gabriel Barbosa não decolou na Europa. Contratado a peso de ouro pela Inter de Milão, Gabigol foi levado para o futebol italiano pelo empresário Kia Joorabichian. Porém, os principais veículos de comunicação da Itália tratam o artilheiro rubro-negro como a maior enganação midiática, espécie de produto de marketing, vendido com exageros de elogios. Ao passo que teve uma temporada apagada no ex-clube de Ronado Fenômeno e Roberto Carlos, o jogador foi emprestado ao Benfica. Porém, o centroavante também foi pouco utilizado no clube português. O seu futebol só voltou a brilhar após defender o Santos em 2018.

2 – Bruno Henrique: o craque rubro-negro em 2019

Bruno Henrique estava esquecido no Wolfsburg. Na Alemanha, teve passagem apagada na temporada 2016. Foram apenas 17 jogos com a camisa do clube. Posteriormente, foi comprado pelo Santos no ano seguinte. Porém, o atacante voltou a praticar um bom futebol e logo foi contratado pelo Flamengo. Ao lado de Gabigol, o camisa 27 foi um dos símbolos do time nas conquistas do Campeonato Brasileiro e da Copa Libertadores da América.

3 – Leandro Damião: de artilheiro a descepção do Flamengo

Artilheiro do Internacional, Leandro Damião foi um dos destaques na conquista da Copa Libertadores da América de 2010. Logo, o jogador foi convocado por Mano Menezes para defender a Seleção Brasileira. O matador, inclusive, conquistou a medalha de prata para o Brasil nos Jogos Olímpicos de Londres em 2012. Após passagem apagada por Santos e Cruzeiro, o camisa 9 foi negociado com o Bétis em 2016. Na passagem pela Espanha, Leandro Damião não fez gol e posteriormente foi negociado com o Flamengo onde não deixou saudades.

4 – Pedro: a aposta do Mengão em 2020

Após impressionante início de carreira no Fluminense, Pedro foi contratado pela Fiorentina em 2019. O atacante, porém, nunca foi protagonista no clube italiano e foi emprestado ao Flamengo. Ele voltou ao Brasil neste início de temporada a pedido do técnico Jorge Jesus. O ex-atacante tricolor chegou ao clube para ser o substituto imediato de Gabriel Barbosa. Atualmente, Pedro está no radar da Seleção Brasileira para disputar os Jogos Olímpicos de Tóquio.

5 – Roger Flores: passagem apagada pelo Flamengo

Roger Flores é uma das maiores incógnitas do futebol brasileiro. Revelado pelo Fluminense no fim da década de 90, o “Maradoninha”, como era chamado na base tricolor, tinha futebol diferenciado e muitas vezes foi comparado aos craques da época, como Marcelinho Carioca, Djalminha, Alex, Ricardinho, Juninho Paulista, entre outros. Por outro lado, a falta de interesse e apatia em campo o tornou alvo de críticas. Ele se transferiu para o Benfica em 2000. Por lá, acumulou vaias e muitas idas ao departamento médico. Roger foi dispensado em 2005, quando seu contrato encerrou.

6 – Athirson: de revelação do Flamengo a fracasso na Europa

Athirson fez história no Flamengo participando de três conquistas Estaduais (1999, 2000 e 2003). Ele chegou a colocar Gilberto no banco de reservas. O jogador integrou o o grupo da Seleção Brasileira na conquista da Copa América de 2000. Após se destacar com a camisa rubro-negra, ele recebeu sua primeira chance na Europa em 2020. Porém, o lateral teve uma passagem sem brilho pela Juventus. Logo depois o fracasso na Itália, ele passou por Bayer Leverkusen e CSKA.

7 – Felipe Vizeu: matador rubro-negro que não deu certo no exterior

Recentemente disputado a tapa por Botafogo e Athletico Paranaense, Felipe Vizeu nem sempre contou com muito prestígio. Revelado pelo América-MG, mas com passagem pela base do Flamengo, o centroavante de estilo clássico também se destacou pelas seleções de base do Brasil. Foi comprado pela Udinese após marcar um punhado de gols em 2017. Chegou a perambular pelo Grêmio onde não deixou saudades.

8 – Vitinho: contratação milionária que ainda não deu retorno ao Flamengo

Atualmente sofrendo com a desconfiança dos torcedores rubro-negros, Vitinho já foi considerado uma grande promessa do futebol brasileiro. Revelado pelo Botafogo em 2013, fazendo parte do elenco capitaneado por Clarence Seedorf, o atacante foi negociado com o CSKA. Porém, alternou bons e maus momentos no período em que atuou no futebol russo. Posteriormente, foi emprestado ao Internacional onde recuperou o futebol que o fez despontar no cenário nacional. Foi contratado pelo Flamengo após uma transação milionária. Em 2019, Vitinho em nenhum momento foi ameaçou Bruno Henrique na briga por uma vaga entre os titulares.

9 – Marcelinho Carioca: promessa do Flamengo que não deu certo lá fora

Revelado pelo Flamengo, Marcelinho Carioca se tornou ídolo no Corinthians. Após passagem marcante pelo Coringão, o “Pé de Anjo” foi para a Espanha. Em 1997, foi negociado com o Valência e não se adaptou. Ele disputou apenas 11 jogos e marcou um gol. Na temporada seguinte, retornou ao Timão e marcou seu nome como um dos maiores ídolos da história do clube. Em 2004, o camisa 7 abandonou o Vasco para defender o modesto Ajaccio. Porém, fracassou no futebol francês.

10 – Kleberson: campeão pelo Flamengo que ofuscou Cristiano Ronaldo

Após se destacar na conquista da Copa do Mundo de 2002, Kleberson foi a principal contratação do Manchester United em 2003. A chegada do jogador revelado pelo Athletico Paranaense ofuscou até mesmo Cristiano Ronaldo. Mas o volante não se adaptou ao estilo de jogo praticado pelo clube inglês comandado por Alex Ferguson. Posteriormente, foi negociado com o Besiktas onde também não teve sucesso. Logo depois de fracassar na Turquia, o Penta defendeu o Flamengo sendo companheiro de Adriano e Petkovic na conquista do Campeonato Brasileiro de 2009.

11 – Gerson: candidato a ídolo que não deu certo na Itália

Gerson foi revelado nas divisões de base do Fluminense. Após pouco tempo entre os profissionais, o jogador foi vendido para a Roma onde chegou com status de craque e titular absoluto. Porém, o jogador amargou o banco de reservas. Ele, inclusive, chegou a ficar fora até mesmo da lista de suplentes. Na temporada seguinte, foi emprestado a Fiorentina. Com a camisa Viola, Gerson realizou boas partidas, mas esteve longe de encantar. Em 2019, foi comprado pelo Flamengo a pedido do técnico Jorge Jesus que conseguiu recuperar o seu futebol. Gerson foi o “motorzinho rubro-negro” nas conquistas do Campeonato Brasileiro e Copa Liberadores da América.

12 – Vampeta: uma das negociações mais polêmicas do Flamengo

Revelado pelo Vitória-BA, Vampeta defendeu dois clubes no início da sua trajetória na Europa. Com passagens apagadas por PSV Eindhoven e VVV-Venlo, o volante passou por Fluminense Corinthians na década de 90. Após boa passagem pelo Timão, Vampeta se transferiu para a Inter de Milão, onde jamais justificou a sua contratação. Posteriormente, ele foi vendido para o Flamengo na transação que envolveu a ida de Adriano Imperador para o clube italiano. Porém, Vampeta não deixou saudades entre os torcedores rubro-negros.

13 – Felipe: de reserva na Roma a destaque na conquista do Carioca de 2004

O lateral-esquerdo chegou a Roma, mas não vingou no time italiano. Sem espaço, foi emprestado ao Atlético-MG e Palmeiras onde teve seguinte e novamente teve uma passagem frustrante, sendo pouco utilizado nas duas equipes. Posteriormente, foi negociado com o Galatasaray. Embora tenha sido o camisa 10 do time por muitas temporadas, o jogador teve bons e maus momentos e não deixou saudades. A oportunidade para voltar ao Brasil veio por meio de uma proposta do Flamengo. Em 2003, o time da Gávea o contratou para preencher a lacuna deixada por Athirson. Felipe caiu nas graças do torcedor rubro-negro por causa dos gols e dribles desconcertantes na conquista do Campeonato Carioca de 2004.

14 – Caio Ribeiro: eterno reserva no Flamengo

Caio Ribeiro foi atacante dos principais clubes brasileiros na década de 1990 e no início dos anos 2000. Revelado pelo São Paulo, o jogador passou por Flamengo, Fluminense, Botafogo, Grêmio e Santos. Foi artilheiro por onde passou, mas não emplacou um bom futebol quando se transferiu para a Europa. Nesse ínterim, Caio defendeu Inter de Milão e Napoli. Com a camisa Nerazzuri, ele disputou apenas seis gols e não fez gols. Emprestado ao Napoli, o jogador também teve curta passagem onde também não se destacou. Pelo Flamengo, conquistou o Campeonato Carioca e a Copa Mercosul em 1999. Por outro lado, sempre foi considerado o “décimo segundo jogador do time.” Atualmente, o ex-jogador é comentaista do Grupo Globo.

LEIA MAIS: