Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Em encerramento da carreira, Eli Manning agradece por 16 temporadas: “Importante sair como um Giant”

Coletiva nesta sexta-feira foi cercada de emoção na despedida de Eli Manning

Luis Feitosa
Jornalista graduado e amante de futebol e futebol americano

Crédito: Matthew Swensen/New York Football Giants

O fim da carreira de Eli Manning foi recheado de emoção. Após o anúncio do encerramento na última quarta-feira, o quarterback resolveu agendar a coletiva de imprensa para conversar com jornalistas e mostrar os últimos acontecimentos que resultaram na decisão.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Acho que era importante para mim sair como um Giant. Acho que quando você vem, quando é recrutado, você chega a uma organização que sempre tem o objetivo de permanecer durante toda a sua carreira. A medida que o fim se aproxima, nem sempre funciona dessa maneira. Você ainda tem vontade de jogar algum dia. Eu acho importante, os fãs, a organização, essa família junto com os Giants ter sido tão notável. Eu acho que era a coisa certa encerrar a carreira em vez de tentar sair e tentar continuar em outro lugar. Esta foi a decisão certa. Estou em paz com ela e acho que foi isso que tornou este dia um pouco mais fácil”, disse Eli Manning.

Em todas as 16 temporadas com os Giants, Eli Manning levou a equipe a dois títulos de Super Bowl. Com mais de 57 mil jardas alcançadas e 366 touchdowns foi um dos principais jogadores da história da franquia pela liderança e pelo talento. Como homenagem da equipe o dono do time de Nova York, John Mara, avisou que irá aposentar a camisa 10 do jogador. “Nenhum Giant voltará a usar o número 10 novamente”.

Uma possível volta aos Giants no futuro não é descartado por Eli. A ideia do ex-jogador é tirar um tempo com a família nos primeiros meses, mas considera poder estar na comissão técnica da equipe ou até uma inesperada ida para trabalhar como treinador de basquete.

Eu acho que definitivamente seria algo em que eu estaria interessado. Eu apenas discuti isso, conversei com Mara e mostrei a maneira eu pensava. Vou demorar um pouco e descobrir como quero passar esses próximos anos. Os rostos, eles não mudam, as pessoas não saem daqui por causa de todas as pessoas maravilhosas e do modo como a organização é administrada. Eles têm tantas pessoas ótimas que eu adoraria estar por perto das pessoas que chamo de amigos”, encerrou o lendário camisa 10.

LEIA MAIS:

NFL teve leve aumento no número de concussões em 2019

Após mais uma acusação de agressão, Antonio Brown se apresenta à polícia de Hollywood

NFL: Confira os números e a trajetória da carreira de Eli Manning