Torcedores – Notícias Esportivas

Brasileirão Feminino começa neste sábado; relembre os campeões

A atual campeã Ferroviária tenta o tricampeonato, enquanto outras equipes buscam quebrar a hegemonia do Estado de São Paulo

Raffa Carolina
Colaboradora do Torcedores.com.

Crédito: Lucas Figueiredo/CBF

Neste sábado, (08), tem início o Campeonato Brasileiro Feminino A1, a oitava edição realizada pela CBF. Buscando o título inédito, Avaí/Kindermann e Vitória abrem a competição a partir das 15h, no estádio Caldeirão da Baixada (SC). O Torcedores.com relembra os torneios realizados desde 2013, as equipes campeãs e as artilheiras.

A mais recente e maior campeã é a Ferroviária, com dois títulos (2014 e 2019). A equipe de Araraquara, formada em conjunto com a prefeitura da cidade em 2001, antes da obrigatoriedade de equipes femininas, é um dos times mais tradicionais na modalidade (junto com São José, Santos e Ponte Preta). Além da grande história, diversas atletas são frequentemente convocadas para as seleções de base e a principal.

Você conhece o canal do Torcedores no YoutubeClique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no 
Instagram

O primeiro campeão é o Centro Olímpico, equipe tradicionalmente conhecida pela revelação de atletas para diversas equipes. Em 2013 teve a artilheira da competição, a meio-campista Gabi Zanotti, com 12 gols em 14 jogos disputados.

A maior artilheira em uma edição de Brasileiro Feminino A1  é a atacante Millene, com 19 gols em 21 jogos disputados pelo Corinthians, na temporada de 2019. A única artilheira estrangeira é a argentina Sole Jaimes, que em 2017 marcou 18 gols com a camisa do Santos (20 jogos disputados).

Na divisão por estados, há uma clara hegemonia de São Paulo: das sete equipes campeões, apenas o Flamengo/Marinha é do estado do Rio de Janeiro. A equipe carioca nasceu em julho de 2015, disputou a primeira edição em 2016 e já se sagrou campeã naquele ano.

RELEMBRE A CAMPANHA DAS CAMPEÃS

2013: Centro Olímpico

Na primeira edição do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino A1, o Centro Olímpico se sagrou campeão ao ganhar na final do São José (SP) por 4 a 3 (placar agregado). O primeiro jogo terminou em 2 a 2 e, no segundo, o Centro ganhou por 2 a 1. A equipe da capital paulista é reconhecida por investir no futebol feminino e por ter revelado diversas atletas, entre elas a lateral Tamires e a zagueira Erika, que atualmente estão no Corinthians e são convocadas frequentemente para a Seleção Brasileira.

A competição reuniu 20 equipes, divididas em quatro grupos, com cinco times cada um. Os dois melhores se classificavam para a segunda fase, com dois grupos com 04 equipes. Novamente as duas melhores equipes de cada grupo se classificavam para a semifinal.

O Centro Olímpico finalizou a competição com 14 jogos, sendo 10 vitórias, três empates e uma derrota. A artilheira da competição foi Gabriela Zanotti, do Centro Olímpico, com 12 gols.

Campeão: Centro Olímpico (SP); Vice: São José (SP); Artilheira: Gabi Zanotti (Centro Olímpico) – 12 gols.

2014: Ferroviária

Em um ótimo ano para uma das equipes mais tradicionais do futebol feminino, a Ferroviária venceu os dois jogos da grande final contra o Avaí/Kindermann. Na ida, a equipe do interior paulista abriu uma boa vantagem de 3 a 0. Na volta, outra goleada: 5 a 3, com os gols da equipe Grená marcados por Raquel (2), Nenê (2) e Rafaela Travalão. A artilheira da competição foi Raquel, da Ferroviária, com 16 gols.

A equipe de Araraquara acabou a competição invicta, pois em 14 jogos disputados foram 10 vitórias e 04 empates, com 45 gols marcados e 12 sofridos.

Campeão: Ferroviária (SP); Vice: Kindermann (SC); Artilheira: Raquel (Ferroviária) – 16 gols

2015: Rio Preto

O Rio Preto foi o terceiro time a se sagrar campeão brasileiro do Feminino A1. A final foi diante do São José, com um placar agregado apertado, 2 a 1. O primeor jogo, em casa, terminou 1 a 0 e a volta viu um empate por 1 a 1. A artilheira foi Gabi Nunes, do Centro Olímpico, com 14 gols. Curiosamente, o São José havia sido campeão mundial em 2014, mas isso não impediu a equipe de Rio Preto de conquistar a competição.

O Rio Preto fez uma campanha regular: em 14 jogos disputados, foram 7 vitórias, 5 empates e duas derrotas, com 23 gols marcados e 09 sofridos.

Campeão: Rio Preto (SP); Vice: São José (SC); Artilheira: Gabi Nunes (Centro Olímpico) – 14 gols

2016: Flamengo/ Marinha

Completando um ano da parceria com a Marinha do Brasil, o time do Flamengo foi o único de fora de São Paulo a se sagrar Campeão Brasileiro feminino. O Flamengo enfrentou na final a equipe de Rio Preto, que havia sido campeã em 2015. O time carioca perdeu o primeiro jogo no Rio, por 1 a 0, mas depois venceu em São Paulo por 2 a 1, prevalecendo o critério de gols marcados fora de casa. A artilheira da competição foi Millene, do Rio Preto, com 10 gols.

Ao todo, o Flamengo/Marinha disputou 14 jogos, com 9 vitórias, 02 empates e 03 derrotas, marcando 23 gols e sofrendo 11.

Campeão: Flamengo (RJ); Vice: Rio Preto (SP); Artilheira: Millene (Rio Preto) – 10 gols

2017: Santos

Na sua quinta edição e com o quinto campeão diferente, o título voltou para o estado de São Paulo. O Santos ganhou o título de 2017 ao vencer o Corinthians pelo placar agregado de 3 a 0. A artilheira da competição foi Sole Jaimes, com 18 gols.

Em 20 jogos disputados, foram 16 vitórias, 02 empates e 02 derrotas, marcando 39 gols e sofrendo 13.

Campeão: Santos (SP); Vice: Corinthians (SP); Artilheira: Sole Jaimes (Santos) – 18 gols

2018: Corinthians

No sexto ano de realização da competição, tivemos mais um vencedor diferente e o quinto do estado de São Paulo. O Corinthians ganhou do Rio Preto na grande final ao vencer pelo placar agregado de 5 a 0 – 1 a 0 no jogo de ida e 4 a 0 no jogo de volta. A artilheira foi a atacante do Flamengo/Marinha, Danyelle, com 15 gols, que foi eleita também a atacante do campeonato.

O Corinthians acabou a campanha de 2018 com 20 jogos disputados, 15 vitórias, 4 empates e apenas 01 derrota. Foram 47 gols marcados e apenas 12 sofridos.

Campeão: Corinthians (SP); Vice: Rio Preto (SP); Artilheira: Danyelle (Flamengo) – 15 gols

2019: Ferroviária

Mesmo com o bom ano do Corinthians, a Ferroviária foi campeã da edição de 2019. A equipe conseguiu o título após ganhar na disputa de pênaltis por 4 a 2. Assim, se consagrou bicampeã brasileira. A artilheira da competição foi a Millene, artilheira do Corinthians, com 19 gols.

A Ferroviária terminou a competição com 21 jogos disputados, com 07 vitórias, 09 empates e 05 derrotas; 26 gols feitos e 14 sofridos.

Campeã: Ferroviária (SP); Vice: Corinthians (SP); Artilheira: Millene (Corinthians) – 19 gols

LEIA MAIS

Maurício Capela analisa o início do Guarani no Paulistão

Maurício Capela analisa o Carioca 2020, agora com Honda no Botafogo