Afastado do Cruzeiro, ex-presidente Wagner Pires afirma que “não fez dívidas” no clube

Ex-cartola do Cruzeiro surpreendeu e falou que não fez dívida no clube em sua gestão

Matheus Expedito
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero. 22 anos. Amante do esporte bem jogado e admirador de boas histórias.

Crédito: Reproução / Os Donos da Bola

Considerado por grande parte da torcida como o grande responsável pela queda do Cruzeiro, o ex-presidente Wagner Pires de Sá se pronunciou nesta terça-feira (11), em entrevista ao programa Os Donos da Bola, da TV Band de Minas Gerais. Questionado sobre a dívida do clube, o ex-cartola afirmou que não foi responsável por nenhuma pendência durante sua gestão.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

“Na minha gestão nós não fizemos nenhuma dívida. O que nós fizemos foi corrigir todas as dívidas da gestão passada. Você tinha a chamada dívida FIFA, que foram jogadores intermediários comprados e que não foram pagos. Então essas dívidas foram corrigidas em moeda estrangeira, em dólar e em euro”, explicou o ex-presidente da Raposa.

Além disso, o ex-dirigente falou sobre o empréstimo realizado ainda em 2018. “Quando solicitei ao Conselho Deliberativo que me desse licença para fazer um empréstimo internacional, que eu achava a única maneira de nós solucionarmos esse problema sérissmo que vem passando o Cruzeiro, eu fiz uma projeção dos próximos quatro anos. Se não fizessemos nada, a nossa dívida poderia chegar a mais de R$ 1 bilhão”, detalhou.

Chateado por ter caído com o clube em sua gestão, Wagner Pires admitiu que ficará marcado pelo rebaixamento da equipe. “Lembrado não só pelos torcedores, mas muito mais por mim de ter sido o presidente, que infelizmente, levou o Cruzeiro para a Série B. Eu estava lá, mas se você vê a retrospectiva, vai ver que eu não sou o único culpado”, lamentou.

O ex-diretor ainda revelou que foi procurado por algumas chapas para retornar ao clube, mas negou o convite. “Eu estou afastado totalmente da administração, inclusive de qualquer processo político. Porque vem se cogitando em formar chapas e falaram no meu nome. Minha participação é zero e desejo que o Cruzeiro se apazigue. Nós temos nomes que são capazes de aglutinar os cruzeirenses, para trazer paz”, completou.

 

LEIA MAIS: