MotoGP pode fazer corridas duplas por conta do coronavírus, afirma Jorge Viegas, presidente da FIM

Em entrevista à Catalunya Radio, Jorge Viegas, presidente da MotoGP, falou de possibilidades para o calendário da categoria por conta do coronavírus

Willian Ferreira
Colaborador do Torcedores.com e contador de histórias do esporte.

Crédito: Twitter/Reprodução

O coronavírus segue mudando a rotina do esporte mundo afora. A mais nova instituição que planeja mudanças por conta do COVID-19 é a MotoGP. Jorge Viegas, presidente da FIM (Federação Internacional de Motociclismo), abordou o tema em entrevista à Catalunya Radio.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

A etapa do Qatar já foi cancelada, o GP da Tailândia foi adiado e as corridas que aconteceriam nos Estados Unidos não estão confirmadas. E a situação, de acordo com Jorge Viegas, não tende a melhorar. “As chances do GP das Américas acontecer em 05 de abril são muito baixas. De qualquer jeito, estamos buscando datas alternativas para a prova em Austin. Mas nesse momento a situação do coronavírus está evoluindo tão rapidamente que não podemos dizer mais”, declarou o presidente da MotoGP.

Por contrato, a MotoGP deve fazer, pelo menos, treze corridas. Jorge Viegas garantiu o número. “Neste momento, tenho total confiança de que o campeonato terá mais do que 13 corridas. Se tivermos que correr em janeiro, vamos correr. Podemos também realizar dois grandes prêmios no mesmo final de semana, no mesmo circuito, ou correr com portões fechados. Estamos considerando todas as opções. No momento, nenhuma ideia é ruim. Você precisa ser flexível e ter imaginação para vencer o coronavírus”, destacou o mandatário.

Opções

Para finalizar, Jorge Viegas afirmou que estuda incluir duas provas que constam no calendário de 2020 como reservas. Tratam-se de provas em dois circuitos portugueses: Portimão e Estoril. Portugal ainda não possui restrição de viagem por conta do coronavírus.

LEIA MAIS
Nomes ligados ao automobilismo e fãs de corridas lamentam morte de Niki Lauda no Twitter
25 anos depois, relembre números e recordes de Ayrton Senna na Fórmula 1
Ricciardo dá ré, bate em outro piloto e abandona GP do Azerbaijão; imagem viraliza no Twitter