Zico pede seriedade e alerta sobre o coronavírus: “É um momento complicado”

Zico ainda pediu apoio aos profissionais que estão trabalhando em meio a pandemia do novo coronavírus; médicos, imprensa e garis

Jeferson Macedo
Colaborador do Torcedores

Foto: Foto: Renato Senna/Torcedores.com

Zico, em entrevista em vídeo para Os Donos da Bola falou sobre a pandemia do novo coronavírus. Treinador no Japão, o ex-jogador do Flamengo ainda não voltou para o país asiático por causa da doença.

O Galinho se diz preocupado com o Brasil principalmente por não levarem a doença a sério: “É um momento complicado. Eu vim do Japão tem uns 20 dias, a coisa estava começando lá. A minha preocupação com o Japão acabou se tornando aqui no Brasil. Porque, lá no Japão, todas essas recomendações que o pessoal faz, são seguidas durante o ano inteiro. Aqui no Brasil, a gente sabe, é um povo irreverente, um povo que, às vezes, pensa que as coisas não são sérias. (…) Temos que respeitar essas recomendações, porque a coisa é séria”, disse Zico.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!

O ex-jogador pediu para que a população brasileira siga as orientações das autoridades, apoio para aqueles que estão trabalhando na linha de frente e comparou a doença a uma guerra.

“A gente tem que fazer a nossa parte aqui, ajudando as pessoas, pedindo para que fiquem em casa e só trabalhe aqueles que têm mesmo a necessidade. A gente tem que agradecer a toda essa comunidade de médicos, de imprensa, de garis, todos esses trabalhadores que precisam do seu ganha-pão para sobreviver. Eu acho que é o momento da gente se unir cada vez mais para que a gente possa vencer essa guerra”.

Zico ainda revelou que não foi só ele e Jesus que fizeram o exame, mas sim todo o time do Flamengo tiveram de fazer porque estiveram no mesmo avião que Mauricio Gomes de Mattos, Vice-Presidente de Embaixadas e Consulados do Flamengo, que foi diagnosticado com a doença.

“Eu e Jesus fizemos o exame no mesmo dia. O Flamengo todo fez, o time todo, funcionários, porque o Mauricio Gomes de Matos veio no mesmo avião. Em nenhum momento tive sintomas”, disse.

LEIA MAIS:

Presidente do Internacional alerta para o coronavírus: “Tenham consciência da gravidade”

Para Edmundo, torneios deveriam acontecer apesar da pandemia do coronavírus

Pandemia de coronavírus impacta em assinaturas de free agents da NFL