Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Galvão Bueno cita momentos especiais da carreira; saiba quais

Locutor esportivo acumula 46 anos de carreira e relatou vários jogos históricos da seleção brasileira

Octávio Almeida Jr
Jornalista graduado pela Universidade da Amazônia (UNAMA), 28 anos.Repórter de campo pela Rádio Unama FM em duas finais de Campeonato Paraense (anos 2016 e 2017). Repórter no site Torcedores.com desde 2018.

Crédito: Reprodução/TV Globo

Dono de uma das principais vozes do Jornalismo Esportivo brasileiro nas últimas décadas, Galvão Bueno narrou dois títulos de Copas do Mundo conquistados pela seleção brasileira, em 1994 e 2002. Para ele, os dois eventos esportivos são o auge da carreira.

“Todo profissional de comunicação que trabalha com futebol sonha em ir a uma Copa. Eu já fui a 12. E delas, o Brasil ganhou duas”, inicia Galvão Bueno.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

“Entrou para a história com a minha narração, com a minha voz. São meus grandes momentos profissionais em 46 anos de carreira. O maior prêmio que eu poderia ter recebido. É um presente divino”, acrescenta.

Transmissão especial

A TV Globo vai reprisar, neste domingo (12), o penta da seleção conquistado em 2002, a partir das 16h. “Eu já revi algumas narrações completas minhas. Mas essa é especial”, declarou Galvão Bueno.

“Vou contar um segredo: toda vez que escuto uma narração completa minha eu sempre acho algum tipo de defeito. Mas vou curtir muito ver novamente essa narração do pentacampeonato, um jogo tão especial na minha carreira”, acrescentou.

Lembranças

Galvão Bueno também citou dois momentos marcantes para a transmissão da final entre Brasil e Alemanha. “Um é a chegada no estádio. Quando se chega para uma final do Brasil em Copa do Mundo, e eu fui a três seguidas, a perna treme um pouco, dá um arrepio, você começa a pensar em tudo que fez ao longo da carreira. É uma responsabilidade muito grande transmitir para dezenas de milhões de pessoas”, disse.

“O segundo, após conquista do título. E este teve um detalhe especial. A Globo tinha um estúdio perto do estádio, onde eu e Fátima Bernardes apresentamos um programa logo depois do jogo. Todos os jogadores foram lá com os instrumentos, tocaram um samba conosco. Foi um momento absolutamente inesquecível”, finalizou Galvão Bueno.

Leia também:

Globo já recebeu R$ 1 bilhão para transmitir jogos suspensos, diz site

Neto sobre noticiário da pandemia: “se você assistir à Globo dá vontade de dar um tiro na cabeça e morrer”