Nova série traz detalhes sobre lance marcante de Michael Jordan e Craig Ehlo

Documentário disponível no Netflix conta sobre a trajetória da equipe em seu sexto título da liga de basquete

Raffa Carolina
Colaboradora do Torcedores.com.

Crédito: Divulgação/Site Oficial do Chicago Bulls

O documentário “The Last Dance” é uma ótima pedida para os fãs de NBA, especialmente do Chicago Bulls. Ele conta a trajetória do time de Michael Jordan. No próximo episódio, um dos confrontos mais marcantes, contra os Cavaliers, com direito ao arremesso envolvendo Jordan e Craig Ehlog.

Esse capítulo revive o duelo da liga no dia 7 de maio de 1898. Era o quinto jogo do melhor de sete entre as duas agremiações. Uma jogada como um arremesso de Jordan causaria medo a qualquer outro jogador, mas não ao defensor Craig Ehlo.

Você conhece o canal do Torcedores no YoutubeClique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no 
Instagram

Confira o lance pela NBA

Entretanto, apesar de Ehlo não temer Jordan, ele não conseguiu parar o astro. Os saltos no ar agitando os punhos constavam com o defensor bem desolado, sentado sob o chão. Ele estava completamente impotente naquele jogo válido pela NBA.

Craig Ehlo tem fim de carreira marcado por várias dores

Micael Jordan ficou reconhecido como um dos maiores jogadores da NBA, mas para Craig o pior veio depois. Nas seis últimas temporadas que marcaram o final de sua carreira, diversas lesões o castigaram. Tinha espasmos na coluna e não podia se agachar. Passou por duas operações, em 2003 e 2007, mas as dores continuaram.

Em 2008, uma última tentativa de prolongar 14 anos na maior liga de basquete do mundo, fez nova cirurgia. Entretanto, não teve o resultado esperado e passou a usar medicamentos. Dois anos depois, corrigiu uma hérnia de disco, mas foi submetido a novos medicamentos, entre eles, a hidrocodona.

Ehlo chegou a tomar 15 pílulas por dia. O ex-jogador da NBA adquiria muitos deles às escondidas, pois alguns não eram permitidos. Isso mudou seu humor, o tornou irritado. Acabou tendo consequências na família ao afastá-lo da esposa e dos filhos.

Cadeia para o ex-jogador da NBA

Em um episódio, no verão de 2013, enquanto arrumava as malas para uma viagem, sua esposa confiscou todos os seus remédios. Por estar viciado neles, Ehlo se irritou, cortou todas as roupas e as queimou.

Depois deste episódio, o ex-jogador da NBA foi parar na prisão de Spokane, localizada a quatro horas de Seattle, onde Ehlo reside. No período em que ficou preso e longe da família, tomou a decisão que mudaria a sua vida: largar todos os medicamentos que fazia uso.

Através de Chris Harren, um ex-jogador da NBA que estava se tratando do vício da heroína, Ehlo conheceu a clínica Gosnold, especializada em tratamentos a viciados. A Clínica ficava localizada em Massachussets e Ehlo não se importou. Ficou por praticamente um mês.

Ao retornar a Seattle, se declarou culpado do incêndio acidental, e vivia com a sua sogra, bem longe de seus filhos e de sua esposa. Quando foi autorizado a regressar para casa, sua esposa e seus filhos não o deixavam sair, por medo de que tivesse uma recaída.

O ex jogador atualmente é treinador ajudante na Universidade do Leste de Washington. Está há anos limpo e considera esta como a maior partida que pode ganhar em sua vida.

Mesmo com aquela derrota em maio de 1989, que impediu os Cavaliers de dominar a NBA nos anos de 1990, Ehlo e seus companheiros tiraram uma conclusão. “Sem aquele lance de Jordan, ganharíamos um par de anéis”, declarou Craig.

LEIA MAIS SOBRE A NBA:
Forbes lista o top-5 na NBA dos jogadores mais ricos; confira a lista

Conheça Leonardo Colimério, armador brasileiro que jogará na liga universitária americana