Chicão chora ao relembrar mensagem do filho antes da final do Mundial: “Mexe comigo até hoje”

Chicão ainda admitiu que os jogadores do Corinthians se assustaram com o primeiro jogo do Chelsea no Mundial

Danielle Barbosa
Colaborador do Torcedores

Crédito: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Peça importante do Corinthians entre 2008 e 2013, o ex-zagueiro Chicão empilhou taças com a camisa do clube do Parque São Jorge, entre elas a inédita Libertadores e o Mundial de Clubes contra o Chelsea, em 2012. Durante participação em uma live no canal de Youtube do jornalista Jorge Nicola, o ídolo da Fiel contou algumas histórias dos bastidores do jogo contra o time inglês e não segurou a emoção ao relembrar a carta que recebeu do filho antes da final.

Cartão de crédito sem anuidade? Abra sua conta Meu BMG agora!

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes

“O Chelsea assustou a gente um pouquinho quando nós fomos ver o primeiro jogo do Chelsea, foi 3 a 1 e eles ganharam sem fazer força, parecia que eles estavam em um campo de pelada. Isso assustou naquele momento. Depois nós começamos a pensar, são 11 contra 11, futebol é dentro de campo e as coisas se resolvem ali. Aquele time (do Corinthians) só tinha jogador experiente, no time titular os mais jovem eu acho que eram o Paulinho e o Cássio só. A responsabilidade no primeiro jogo, da semifinal, era nossa. Quando você passa para a final, você transfere essa responsabilidade para o time europeu, que é a potência”, disse Chicão.

O ex-zagueiro aproveitou que a partida contra o Chelsea foi reprisada pela TV Globo recentemente para rebater os críticos. “Na época falaram que o Corinthians só se defendeu, mas quem assistiu a reprise e fez uma análise com mais clareza, viu que foi um jogo de igual para igual, o Corinthians não tremeu, os jogadores saiam tocando lá de trás…”

Ao comentar sobre como foi o pré-jogo da final contra os ingleses, Chicão relembrou que os jogadores receberam cartas da família. “Isso mexeu muito com todos. Eu concentrava com o Alessandro, aí ele foi para um lado chorar e eu fui para o outro. A gente já estava a 13, 14 dias longe de casa, aí o filho te manda uma mensagem que te arrebenta… e tem a questão do torcedor. O Tite também falou que os torcedores que invadiram o aeroporto de Guarulhos e também fizeram loucuras para estarem no Japão e aquilo tinha que dar forças para nós dentro de campo”, disse o ex-zagueiro, que se emocionou ao lembrar o recado que recebeu do filho.

“Ele escreveu que um dia quer ser como eu, que eu era um vencedor e um herói. Isso realmente mexeu comigo e mexe até hoje porque é uma criança mandando uma mensagem, sem maldade nenhuma, você lá do outro lado do mundo lendo aquilo… isso é pra você ter noção que nós somos espelho não só para o filho, mas para muitas crianças que sonham em jogar futebol”, completou.

LEIA MAIS:
Você lembra? Cássio foi eleito o melhor jogador do Mundial de Clubes de 2012
Roberto de Andrade ‘ataca’ Bandeira de Mello e relembra saída de Guerrero: “Ele jogou no Flamengo?”
Ex-Timão, Chicão lembra que time rival tentou contratá-lo: “O dinheiro era maior, mas jogar no clube de coração não tem preço”