Everton perde o avô para o coronavírus e faz post emocionado na web: “Fiquei sem chão, não é só uma gripezinha”

Atacante gremista Everton lamentou muito a perda do avô, mais uma vítima do coronavírus no Brasil

Eduardo Caspary
Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Dupla Gre-Nal.

Crédito: Foto: Reprodução/Instagram

Enquanto é alvo do interesse do Napoli, da Itália, que ensaia fazer uma proposta oficial nos próximos dias, Everton convive com a dor de uma perda familiar. Nas redes sociais, o principal jogador gremista lamentou a morte do seu avô Francisco Albuquerque de Araujo, que morava em Maracanaú, na região metropolitana de Fortaleza.

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes

Nas redes sociais, Cebolinha fez postagens relembrando a infância e a convivência com Francisco, outra vítima do coronavírus no Brasil.

“Sua partida quebrou meu coração, nunca tinha sentido algo assim antes. Parece que o mundo desabou, fiquei sem chão, e meu vô não tenho palavras para descrever o homem que você foi, sempre fez presente na minha vida. Em saber que você morreu em Cristo, isso me conforta. Seu Francisco que falta você faz. Isso não é somente uma gripezinha e está mais perto do que imaginamos”, publicou o jogador.

O termo “gripezinha”, bem como “resfriadinho”, foi utilizado pelo presidente Jair Bolsonaro para minimizar o vírus em um dos seus primeiros discursos em cadeia nacional de TV e rádio sobre o assunto. Dados desta quinta-feira indicam que o Brasil tem 294.152 casos do novo coronavírus (Sars-CoV-2), com 19.038 mortes.

Números de Everton

A possível proposta do Napoli seria bem inferior à multa rescisória de 120 milhões de euros, mas próximo à sua cotação de mercado, que segundo o site Transfermarkt é atualmente de 28 milhões de euros, algo citado por GaúchaZH.

Everton, que tem contrato até o final de 2023, tem 273 jogos e 70 gols pelo clube, defendendo o profissional desde 2014.

LEIA MAIS:

Barrios revela que recusou proposta do Inter após conquistar a Libertadores de 2017: “Eu respeito o tricolor”

Bolzan ainda crê em acerto com Ferreira, mas adverte: “Aqui, estar em afirmação é diferente de estar pronto”

Siga o autor:

No YouTube

No Instagram