Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Luxemburgo cita mortes e detona possível retorno do futebol: “Exemplo de quê?”

Discussão sobre volta dos jogos foi reprovada por Luxemburgo

Bruno Romão
24 anos, jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba, amante da escrita, natural de Campina Grande e um completo apaixonado por futebol. Contato: bruno.romao.nascimento@gmail.com

Crédito: Cesar Greco/Palmeiras

Em entrevista à “Rádio Bandeirantes”, Vanderlei Luxemburgo voltou a se posicionar contra o retorno do futebol de maneira imediata. Dessa forma, o treinador do Palmeiras citou o elevado número de mortes no Brasil e acredita que o esporte não irá servir de nenhum exemplo em caso de regresso. Sendo assim, ele ainda frisou que é preciso que haja uma retomada total, não apenas em uma região.

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes

“No futebol, as pessoas estão forçando uma situação para o futebol servir de exemplo. Vai servir de exemplo de quê? Estão morrendo mil e poucas pessoas por dia, vai servir de exemplo de quê? De nada. Tem que servir exemplo de coisa positiva. Não pode ter privilégios para A, B ou C, de voltar no Sul, mas não voltar em Norte, Nordeste, Sudeste… Ou é para todos ou não é para todos, porque todos teremos prejuízo. Com experiência e vivência que tenho, vendo política e coisas que acontecem, não tenho dúvida de que 80% da população brasileira vai contrair o vírus, porque ele continua se espalhando. Não tenho dúvida de que tem jogador meu que está com o vírus, foi assintomático, não sentiu nada e já está imune. Quando voltarmos, com 100% de certeza, muitos serão contaminados. E como vamos fazer?”, declarou.

Diante disso, Luxemburgo pediu que ocorresse um aprofundamento nos estudos sobre a volta das partidas. Para o comandante, uma possível decisão precipitada deve acarretar em mais pessoas contaminadas. No Palmeiras, foi revelado que a escolha de treinar na Academia de Futebol está nas mãos do presidente do clube.

É obrigação ter um estudo melhor apurado para que não só o futebol, mas todos os setores voltem. As pessoas serão contaminadas, não tem como, o vírus está aí em tudo quanto é canto. O futebol vai voltar, mas o que tem que ser feito para minimizar a contaminação? Tem muita gente parada, poderiam tomar decisões importantes para a volta ao trabalho, em todos os conjuntos, não ser em uma realidade tão complicada (…). A ordem do presidente é esperar que os órgãos sanitários que mandam determinem voltar. O Palmeiras já está totalmente organizado. Se voltar amanhã, já tem planejamento, com distanciamento e tudo preparado. Mas precisamos da ordem, e não vejo por que antecipar essa volta”, contou.

LEIA MAIS

Promessa do Palmeiras, Gabriel Menino diz que foi confundido com “Medina” por Luxemburgo