Thierry Henry revela que foi “mais fácil” jogar no Arsenal do que Barcelona

Francês disse que no Barcelona teve que reaprender a jogar, já que não tinha a liberdade de se mover em qualquer parte do campo

Raphaela Silva
Colaboradora do Torcedores.com.

Foto: Getty Images

O ex-atacante Thierry Henry está marcado na história do Arsenal e do Barcelona. Pelo Arsenal, Henry é considerado um dos maiores ídolos do clube, onde ficou de 1999 até 2007, retornando em 2012 e marcou 228 gols. No Barcelona, o craque incorporou o elenco comandado por Pepe Guardiola e conseguiu conquistar a tão sonhada Champions League de 2008/2009. Em uma vídeo chamada com Sérgio Aguero, Henry revelou que foi mais fácil jogar no clube de Londres.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

 

“No Arsenal, eu poderia ir aonde quisesse. Foi muito mais fácil para mim no Arsenal, porque eu tinha Bergkamp ou Kanu. Eles gostaram de ficar no meio, o que me permitiu recuar, me mover do lado direito, do lado esquerdo.”

Thierry Henry revelou que não queria ter saído do Arsenal e que ao chegar no Barcelona, teve que reaprender a jogar, já que no clube espanhol ele não tinha a liberdade de se mover em algumas partes do campo, como tinha na Inglaterra.

“Eu estava no Arsenal, nunca pensei em ir embora, mas saí. Fui para o Barcelona, ​​um tipo diferente de jogo, um estilo diferente para reaprender a jogar, porque no Arsenal Dennis estava lá, Kanu estava lá e eu podia me mover em qualquer lugar de frente, entrar no meio, pegar a bola, ir à direita e à esquerda.”

O francês disse que com a chegada de Pepe Guardiola, ele teve que permanecer em sua posição, para ajudar jogadores de outras posições com espaços em campo.

“Então, de repente, você chega a Barcelona e Rijkaard me pediu para ficar à esquerda e, quando Pep chegou … Pep é um treinador incrível, acima de tudo, mas ele é muito exigente, muito intenso e é quase como se você jogasse xadrez com ele. Você sempre quer estar um passo à frente do que está fazendo. Para fazer isso, você precisa permanecer na sua posição para aumentar o arremesso o máximo possível para que os médios operem o que precisam para operar”

“Você precisa fazer corridas falsas para afastar a linha de trás, para criar espaço para o número 10 do seu lado, porque estávamos jogando com um meia segurando e dois números 10, então eu sempre tive que correr atrás para ter certeza de que Andrés Iniesta ia pegar a bola e, se não, você mata o espaço.”, concluiu.

LEIA MAIS:

Presidente da Federação Inglesa teme que torcedores não voltem aos estádios “tão cedo”

Fábio dispara contra a Seleção: “Muitas vezes, treinador levou nomes pela amizade e não por merecimento”