Neto defende repórter da Globo que foi feita refém dentro da emissora: “absurdo!”

Ídolo corintiano falou por um minuto sobre o assunto que ocorreu na quarta-feira (10)

Octávio Almeida Jr
Jornalista graduado pela Universidade da Amazônia (UNAMA), 27 anos.Repórter de campo pela Rádio Unama FM em duas finais de Campeonato Paraense (anos 2016 e 2017).

Crédito: Reprodução/Os Donos da Bola

Apresentador da TV Bandeirantes, Neto defendeu Mariana Araújo, repórter do Grupo Globo que foi feita refém na sede carioca da emissora, na quarta-feira (10). No programa Os Donos da Bola desta quinta (11), o ídolo corintiano falou por um minuto sobre o tema e repudiou o ato de violência.

“Vou falar uma coisa pra você: vamos todos nós repudiarmos, de uma maneira bem convicta e forte, o que tá acontecendo com os jornalistas, principalmente da Rede Globo. Quando é aqui (na Bandeirantes), a gente às vezes defende. Mas vamos defender todo mundo”, iniciou Neto.

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes

“É um absurdo aquele cara pegar a faca em cima da Mariana, que é uma baita de uma jornalista. O que é isso? Quer dizer que a imprensa é culpada pelo o que governo faz? Quer dizer que a imprensa é culpada pelo Covid-19? Não é assim, meu!”, exclamou.

“Vai precisar morrer alguém pra tomar uma atitude em relação a isso? Será que não podem as pessoas terem um entendimento que os jornalistas estão trabalhando?”, questionou Neto.

“Eu não sou jornalista, sou ex-jogador de futebol e apresento um programa há dez anos, tô a vinte anos na Band. Mas é um absurdo o que fizeram com a menina”, prosseguiu.

“Não me interessa se é da Globo, da RedeTV, se é da Record, aonde quer que seja. Não pode acontecer isso. Alguém tem que tomar uma providência!”, finalizou Neto.

Entenda o caso

Um homem invadiu a sede da TV Globo, localizada no Jardim Botânico (Rio de Janeiro), nesta quarta (10). Armado com uma faca, ele fez refém a repórter Mariana Araújo.

De acordo com informações oficiais, o sujeito apresentava distúrbios mentais e exigiu ver Renata Vasconcellos,  também jornalista da Globo. Após ver Vasconcellos, o homem largou a faca e se entregou à Polícia Militar.

Leia também:

Após detonar Esporte pela Democracia, Neto se integra ao grupo: “a gente tem que parar de ser racista”