Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Após o Flamengo não lutar por aprovação da MP 984, Bolsonaro está descontente com Landim, diz revista

Flamengo não teria se engajado para fazer a “MP do Mandante” ser aprovada no Congresso

Bruno Romão
24 anos, jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba, amante da escrita, natural de Campina Grande e um completo apaixonado por futebol. Contato: bruno.romao.nascimento@gmail.com

Crédito: Reprodução

Segundo a revista “Veja”, através do blog “Radar Econômico”,  Jair Bolsonaro está se sentindo desprestigiado com Rodolfo Landim. Após um encontro em Brasília, ainda em junho, articular a MP 984, o Flamengo não teria se engajado para a Medida Provisória ser aprovada no Congresso. Sendo assim, o texto que favorece os mandantes das partidas surtiu o efeito esperado.

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes

Portanto, o presidente do Brasil avalia que uma importante arma contra a Globo, que rescindiu o contrato com o Carioca, poderia ter sido utilizada de uma melhor forma. Diante disso, a tendência é que a MP caduque e perca sua validade ao término do seu regimento provisório.

Recentemente, os clubes favoráveis a mudança se manifestaram para que houvesse uma conversão em lei. No entanto, em caso do cenário da aprovação não ser confirmado, uma possível edição só poderia ser feita no começo de 2021.

Após assinar a MP, Bolsonaro apoiou as mudanças propostas pela MP. Dianre disso, avaliou que o futebol seria “democratizado” com as negociações das partidas sendo conduzidas pelos mandantes dos jogos.

Publicada a MP 984, do futebol brasileiro. Medida dá aos clubes autonomia na transmissão/reprodução de suas partidas, antes controladas por monopólios, e flexibiliza o tempo mínimo de contrato para garantir empregabilidade aos atletas neste período de instabilidade econômica. O clube mandante poderá, por exemplo, transmitir suas partidas via TV ou streaming (internet), se assim desejar. Aos atletas, serão distribuídos, em partes iguais, 5% da receita proveniente da exploração de direitos desportivos audiovisuais. Estamos democratizando o futebol”, escreveu.

LEIA MAIS

As melhores notícias de esportes, direto para você