Felipão aceita oferta e é novo treinador do Cruzeiro para a disputa da Série B

Treinador retorna ao clube após 19 anos desde a primeira passagem. Cruzeiro chega ao quarto treinador da temporada e vive crise na segunda divisão do Campeonato Brasileiro

Rafael Brayan
Apaixonado pelo estudo do esporte mais praticado no mundo.

Crédito: Divulgação /Palmeiras

O Cruzeiro tem um novo treinador. Após a saída de Ney Franco, o time mineiro acertou com Luis Felipe Scolari, o Felipão. Campeão do mundo pela seleção brasileira em 2002, o técnico estava sem clube desde agosto do ano passado, quando foi demitido do Palmeiras.

A crise fora dos gramados no Cruzeiro e o mau momento na disputa da segunda divisão do Brasileirão afastou as opções para o cargo. Felipão, inclusive, chegou a recusar inicialmente a oferta. Entretanto, após Lisca, do América-MG, Umberto Louzer, da Chapecoense, e Marcelo Chamusca, do Cuiabá, negarem um acordo, o time conseguiu convencer o campeão brasileiro de 2018 de ir para Belo Horizonte.

“Não queremos só este ano. Queremos este ano que está terminando, queremos 2021, 2022 e 2023. Vou estar com vocês dando tudo aquilo que posso dar com a minha contribuição do meu conhecimento, de amizades e tudo aquilo que o cruzeiro me deu também. Conto com vocês também”, disse Felipão, que assinou o contrato até o fim de 2022 com o Cruzeiro.

Acompanhe as notícias do seu time pelo Facebook

Marcado no Brasil em Grêmio e Palmeiras, Felipão já passou pelo comando do Cruzeiro. Foi no começo do século XXI, em 2000 e ficou até o ano seguinte. Deixou a equipe mineira diretamente para assumir a Seleção, onde seria, logo depois, vencedor da Copa do Mundo na Coreia do Sul e Japão.


Ficha técnica – Felipão

Nome: Luiz Felipe Scolari
Nascimento: 09/11/1948
Naturalidade: Passo Fundo (RS)

Carreira: CSA (1982), Juventude (1983), Brasil-RS (1983 e 1984), Al Shabab – Riyadah (1984 e 1985), Pelotas-RS (1986), Juventude-RS (1986 e 1987), Grêmio (1987), Goiás (1988), Al Qadsia (1988 e 1989), Seleção do Kuwait (1990), Al-Ahli Saudi (1991), Criciúma (1991), Al Qadsia (1992), Grêmio (1993 a 1996), Júbilo Iwata (1997), Palmeiras (1997 a 2000), Cruzeiro (2000 e 2001), Seleção Brasileira (2001 e 2002), Seleção Portuguesa (2003 a 2008), Chelsea (2008 e 2009), Bunyodkor (2009 e 2010), Palmeiras (2010 a 2012), Seleção Brasileira (2013 e 2014), Grêmio (2014 e 2015), Guangzhou Evergrande (2015 a 2017), Palmeiras (2018 e 2019) e Cruzeiro (desde 10/2020).

Títulos: Campeonato Gaúcho (1987), Copa do Kuwait (1990), Copa do Golfo (1990), Copa do Brasil (1991), Copa do Brasil (1994), Campeonato Gaúcho (1995), Copa Libertadores (1995), Campeonato Gaúcho (1996), Recopa Sul-Americana (1996), Campeonato Brasileiro (1996), Copa do Brasil (1998), Copa Mercosul (1998), Copa Libertadores (1999), Torneio Rio-São Paulo (2000), Copa Sul Minas (2001), Copa do Mundo (2002), Liga Uzbeque (2009), Copa do Brasil (2012), Copa das Confederações (2013), Liga Chinesa (2015), Liga da Ásia (2015), Supercopa da China (2016), Liga Chinesa (2016), Copa da China (2016), Supercopa da China (2017), Liga Chinesa  (2017) e Campeonato Brasileiro (2018).

VEJA TAMBÉM:

Neymar é o maior pós-Pelé? Tite dá a sua opinião e valoriza atual camisa 10 da Seleção: “Cada vez melhor”

Robinho não é o único! 5 nomes da Série A que já foram acusados de agressão a mulher