CBF decide não punir jogadores e técnicos por quebra de protocolo

Entidade definiu que cada clube deve se responsabilizar por seus profissionais

Matheus Camargo
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Divulgacao/Atlético

O médico da CBF, Jorge Pagura, confirmou em entrevista à TV Gazeta que a entidade que comanda o futebol brasileiro não punirá jogadores e técnicos por quebra de protocolo de prevenção à Covid-19.

Segundo Pagura, a responsabilidade é de cada clube arcar com as consequências de seus atletas, enquanto a CBF apenas apresentou o protocolo a ser cumprido.

“A CBF cuida do campeonato e das suas regras. Os clubes tem que cuidar da proteção os próprios atletas, dirigentes e comissão técnica. Às vezes ele consegue segurar o atleta, às vezes não, e ele que tem que passar essa orientação para seguir um protocolo. No fundo, o prejuízo é do clube”, disse o médico da CBF, justamente no período de maior surto entre atletas desde o início da pandemia.

Acompanhe as notícias do seu time do coração pelo Facebook

“O protocolo foi uma experiência totalmente nova, e a gente não tem isso estipulado como uma situação punitiva. Fazemos nossos bloqueios aonde nos compete. Nós notamos um aumento da curva no país e mandamos um alerta para os clubes. Nós não temos hoje, em termos de legislação esportiva, algo para fazer uma punição, porque a gente espera que cada um mantenha sua responsabilidade, É o time, a casa deles.”

O futebol brasileiro foi criticado no Uruguai após Matias Viña ter sido contaminado no Palmeiras e supostamente levado o vírus até o elenco da seleção local. Pagura defendeu a CBF e disse que Gabriel Menino, que também se contaminou no Palmeiras, fez o teste logo em sua chegada, testou positivo e prontamente foi cortado sem passar a Covid-19 para nenhum companheiro.

“Tivemos uma reunião com o Comitê Médico da Conmebol e vi uma foto de nove jogadores do Uruguai sentados, sem máscara e conversando. Tem que avaliar dentro do clube, a CBF cuida do campo, não entra ninguém sem inquérito epidemiológico e sem medir a temperatura. E todos aqueles que participam sem máscara do evento, que são jogadores, árbitros e técnicos, estão testados e negativados. O controle é extremamente rígido”, completou.

Leia mais:
Seleções sul-americanas devolvem 15 jogadores com Covid-19 e três lesionados para os clubes