Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Árbitro FIFA, partidas inexpressivas e nenhum destaque: quem é o 4º árbitro que foi acusado de racismo em PSG x Istanbul Basaksehir?

Ato racista do romeno fez com que partida fosse suspensa

Matheus Camargo
Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), colaborador do Torcedores.com desde 2016, radialista na Paiquerê 91,7.

Crédito: Reprodução

O árbitro Sebastian Coltescu teve na última terça-feira (8) um protagonismo no mundo do futebol que nunca havia chegado próximo de ter ao cometer um ato racista contra Pierre Webó, auxiliar técnico do Istanbul Basaksehir, que enfrentava o PSG, pela Champions League. Foi o maior ato midiático do árbitro em quase duas décadas.

Atuando como quarto árbitro na partida, Coltescu teria dito para “retirar aquele negro dali”, em referência a Webó, ex-jogador camaronês. Com isso, o desconhecido árbitro romeno se tornou uma das pessoas mais conhecidas do futebol na última terça e provocou uma revolução dos atletas, que deixaram o gramado em protesto. A partida foi remarcada para esta quarta (9).

Mas quem é Sebastian Coltescu e o que ele fez no futebol até hoje?

A realidade é que o romeno é inexpressivo no mundo do futebol europeu e mundial, mesmo carregando o distintivo da FIFA há praticamente 14 anos, segundo o WorldReferee, especializado em arbitragem. O site conta com registros do romeno, que pegou a licença FIFA em 2006 e foi suspenso em 2007 após uma série de erros, sendo rebaixado para arbitrar na segunda divisão de seu país.

PSG

Coltescu em partida do Campeonato Romeno (Reprodução/Twitter)

Coltescu tem atuado como árbitro principal apenas em jogos menores ou do Campeonato Romeno, sendo levado aos jogos da Champions League apenas como 4º árbitro – justamente como em PSG x Istanbul Basaksehir. Atuou assim em partidas do Liverpool, do Real Madrid e da Juventus.

Para se ter ideia da inexpressividade de Coltescu, seu último jogo fora da Romênia foi em 2019, nas fases preliminar da Liga Europa, entre Siroki Brijeg, da Bósnia, e Kairat, do Cazaquistão. Na atual temporada, apitou apenas sete jogos como árbitro principal em seu país.

A UEFA emitiu nota e prometeu uma “investigação profunda”. A Federação Romena repudiou “qualquer ato racista ou xenófobo”, mas disse que aguardará a posição da UEFA para tomar qualquer decisão sobre Coltescu.

Leia mais:
Comentarista do SporTV admite vontade de deixar cargo para dirigir clube