Após denunciar racismo, Gerson reforça luta contra o preconceito: “Jamais vão diminuir nossa cor”

Gerson relatou que foi alvo de racismo em Flamengo x Bahia

Bruno Romão
24 anos, jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba, amante da escrita, natural de Campina Grande e um completo apaixonado por futebol. Contato: bruno.romao.nascimento@gmail.com

Crédito: Alexandre Vidal - Flamengo

Lamentavelmente, o duelo entre Flamengo x Bahia foi marcado por mais uma denúncia de racismo no futebol. Dessa forma, após o apito final, Gerson relatou que o meia Índio Ramírez cometeu injúria racial dentro das quatro linhas, caso que deve ser apurado posteriormente. Sendo assim, depois de revelar o fato, o camisa 8 se manifestou nas redes sociais.

Diante disso, o meia lamentou o ocorrido no Maracanã, repudiando a conduta de minimizar o crime de racismo. Portanto, ele espera que o cenário em questão não seja tratado como algo “normal” dentro da sociedade.

“É uma pena nós, negros, termos que falar sobre isso semanalmente e nenhuma atitude no esporte ser tomada a respeito. E é mais triste ainda ver a conivência de outras pessoas que estão dentro de campo e que minimizaram e diminuíram o peso do ato de hoje no Maracanã. É nojento conviver com o racismo e ainda mais com os que minimizam esse crime”, expressou.

Mesmo assim, Gerson garantiu que jamais irá se calar. Dessa forma, o atleta do Flamengo deseja que o crime que foi denunciado, assim como em outras ocasiões, seja punido com o rigor necessário.

“Não vou “calar a minha boca”. A minha luta, a luta dos negros, não vai parar. E repito: é chato sempre termos que falar sobre racismo e nada ser feito pelas autoridades. Racismo é crime. E deve ser tratado desta maneira em todos os ambientes, inclusive no futebol. Não me calaram na vida, não me calaram em campo e jamais vão diminuir a nossa cor”, completou.

Veja abaixo o pronunciamento completo.

LEIA MAIS