Onze vezes vencedor do Golden Globe Award, Omar Vizquel é acusado de agredir a ex-esposa

De acordo com o portal The Athletic, Omar Vizquel agrediu Blanca, ex-esposa do atleta, em 2011 e 2016; MLB se posicionou sobre o caso

Willian Ferreira
Colaborador do Torcedores.com e contador de histórias do esporte.

Crédito: Twitter/Reprodução

Um dos grandes jogadores da história da Major League Baseball (MLB) passa por um momento conturbado. Omar Vizquel, histórico shortstop da liga, foi acusado pela ex-mulher, Blanca, que o ex-atleta a agrediu. As denúncias foram apuradas pelo portal The Athletic.

De acordo com Blanca, Omar Vizquel a agrediu pela primeira vez, em 2011. Após o casamento dos dois veenzuelanos, em 2014, veio um novo caso de agressão em 2016. Ao portal, um dos advogados do ex-atleta afirmou que ele “nega categoricamente qualquer alegação de violência doméstica”.

O próprio Omar Vizquel falou a respeito. “Eu não tenho nada a dizer. Isso é um divórcio e eu sei que ela está realmente chateada. Há um monte de coisas sendo ditas por aí sobre coisas que supostamente aconteceram a portas fechadas, você sabe. Não tenho nada a dizer sobre isso também. É apenas um divórcio”, destacou o atleta.

Quem também se pronunciou foi a MLB. “Embora Omar Vizquel não seja um contratado por uma organização da Major League há algum tempo, estamos cientes das acusações e continuaremos investigando-as”, finalizou.

Histórico

Onze vezes vencedor de Gold Glove Award, Omar Vizquel começou na MLB em 1989, no Seattle Mariners. Até 2012, quando encerrou a carreira, passou, também por Cleveland Indians, San Francisco Giants, Texas Rangers, Chicago White Sox e Toronto Blue Jays. O venezuelano também foi eleito três vezes para o All-Star Game.

LEIA MAIS
Chamado de “bonitão” por companheiro, experiente quarterback da NFL afirma: “Ainda tenho gasolina no tanque e posso fazer muito mais”
Torcedor que usou laser para atrapalhar Tom Brady na NFL é condenado a pagar multa e jamais entrará em estádio novamente
Nike cancela lançamento de tênis que tinha bandeira dos EUA ligada à segregação racial após protesto de ex-jogador da NFL