Porta dos fundos: Além de Benítez, relembre outros jogadores argentinos que não deixaram saudades no Vasco

Contratado com status de craque, Martín Benítez está vinculado ao Vasco até 31 de dezembro

Wilson Pimentel
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Rafael Ribeiro /Vasco

O Vasco possui diversos títulos importantes ao longo da história, muita torcida, lindas histórias e grandes jogadores. Porém, nem todos os atletas que vestiram a camisa cruzmaltina deixaram saudades em São Januário.

Siga o Torcedores também no Instagram

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva

Recentemente, o clube fez contratações no mínimo ‘duvidosas’. Os torcedores não querem nem ouvir os nomes de alguns jogadores, enquanto outros sequer são lembrados (ou não) pelos vascaínos. Afinal, nem sempre um reforço foi sinônimo de qualidade na Colina Histórica.

O Vasco tem apostado bastante em jogadores argentinos e, recentemente, pouquíssimas peças caíram no gosto do torcedor. Dario Conca, só para exemplificar, é um caso raro de uma contratação acertada pelos gestores.

No entanto, Martín Benítez aumentou a lista em 2020. Contratado com status de craque, ele ganhou a camisa 10 de Roberto Dinamite. Nesse ínterim, acumulou lesões musculares, marcou dois gols em 28 jogos.

Entre jogadores que defenderam a seleção argentina, nomes badalados no futebol internacional e jogadores com vasta rodagem, o Torcedores.com listou quem deu errado com a camisa do Vasco. Confira!

Maxi López (2018 – 2019)

Foi peça importante do Vasco na luta contra o rebaixamento em 2018. Mas, no ano seguinte, perdeu espaço no elenco por não conseguir atingir o peso ideal. O ex-atacante de Barcelona, River Plate e Grêmio, marcou 11 gols em 38 jogos pelo time de São Januário.

Andrés Rios (2017 – 2019)

Chamou a atenção dos torcedores do Vasco pela semelhança com o cantor sertanejo Gusttavo Lima. Porém, não caiu nas graças dos vascaínos. Afinal, o futebol do argentino se resumia a muita correia e pouca produtividade. Nesse ínterim, disputou 71 partidas e fez 15 gols.

Damián Escudero (2018)

Anunciado com um “presente de natal” por Eurico Miranda, o argentino foi contratado para ser o substituto de Nenê no Vasco. No entanto, o argentino não agradou a torcida e deixou o clube sem ser notado. Ao todo, ele disputou 20 jogos e fez um gol.

Emanuel Biancucchi (2015)

Primo de Lionel Messi e irmão de Maxi Biancucchi, o argentino foi um dos muitos contratados pelo Vasco em 2015. A passagem dele por São Januário, porém, ficou marcada pelas fracas atuações e muitos gols perdidos. Foram 10 jogos e dois gols com a camisa vascaína.

Germán Herrera (2015)

Com passagem destacada por Grêmio, Corinthians e Botafogo, o centroavante teve uma passagem sem brilho pelo Vasco em 2015. Foi um dos símbolos do terceiro rebaixamento da história do clube. Nesse ínterim, marcou apenas um gol em 16 jogos.

LEIA MAIS: 

Honda vira prioridade do Portimonense e clube monta operação para contratar japonês; entenda!

Breno, Fellipe Bastos, Ramon e mais: Vasco começa reformulação para 2021 

Martín Benítez ensaia despedida do Vasco e fica perto de retornar ao Independiente