O que cada time da AFC precisa fazer nos playoffs para chegar ao Super Bowl

Confira uma análise da cada equipe da Conferência Americana que chegou aos playoffs da NFL

Thais May Carvalho
Colaborador do Torcedores

Crédito: Foto: Charlie Neibergall/AP Photo

Janeiro chegou e os playoffs da NFL também. Com a pós-temporada do futebol americano começando hoje, nós preparamos uma análise com o que cada uma das 14 equipes precisarão fazer para ter uma chance de ir ao Super Bowl LV, em Tampa. 

A seguir estão os times da AFC. Caso queira ver a matéria com as análises da NFC, clique aqui.

KANSAS CITY CHIEFS

Sem dúvida, os Chiefs chegam aos playoffs como favoritos na AFC para ir ao Super Bowl. O ataque é recheado de estrelas e a conexão entre Patrick Mahomes, candidato ao prêmio de MVP, e Travis Kelce parece melhorar a cada jogo. Apesar de todo talento e da capacidade de marcar muitos pontos, quem vê Kansas City jogar percebe que a equipe sofre apagões durante a partida. Por conta disso, 8 das 14 vitórias foram por uma posse de bola, e isso não pode acontecer na pós-temporada. Já a defesa dos Chiefs é boa, mas ficou na metade de baixo no ranking dos 32 times da liga. O principal motivo para isso é a defesa contra o ataque terrestre, que é a pior entre as equipes que chegaram nos playoffs no total de jardas terrestres concedidas em 2020.

Crédito foto: Harry How/Getty Images

CLEVELAND BROWNS

Pela primeira vez na pós-temporada após 18 anos, os Browns tem um grande desafio pela frente. O time chega aos playoffs em um momento complicado, com um surto de COVID-19 (e por isso ele não terá o seu técnico na sideline), e vem de 2 derrotas nos últimos 4 jogos, sendo uma delas para os Jets. De forma geral, o ataque de Cleveland é bem equilibrado, mas, para que Baker Mayfield tenha sucesso, o time precisa correr com a bola e que o play-action seja bem sucedido. Porém, para ter alguma chance de chegar ao Super Bowl, a defesa dos Browns precisa melhorar bastante. Ela está entre as dez piores da liga e cedeu mais de 30 pontos em sete jogos.

Crédito foto: Jason Miller/Getty Images

PITTSBURGH STEELERS

Os Steelers começaram a temporada 11-0, mas desde então o time caiu de produtividade e só ganhou um dos últimos cinco jogos (com uma bela atuação no segundo tempo contra os Colts). Assim, a equipe chega aos playoffs como um ponto de interrogação. A defesa, liderada pelo candidato a DPOY, T.J. Watt, terminou o ano como a melhor da liga. Ela parece não ter um ponto fraco, mas os destaques ficam para a defesa contra o jogo aéreo e a grande quantidade de turnovers forçados (27). No ataque as coisas são bem diferentes. O time não consegue correr com a bola (foi o pior da NFL com apenas 1351 jardas) e é o que mais dropa passes, com 31. Para Pittsburgh voltar a ser um candidato forte ao Super Bowl, a equipe precisará reencontrar o ritmo do começo da temporada.

Crédito foto: Don Juan Moore/Getty Images

INDIANAPOLIS COLTS

Se quiser ter sucesso nos playoffs, Indianapolis precisa correr com a bola com Taylor e Hines, afinal, essa foi a principal arma ofensiva nas vitórias da equipe durante a temporada. Isso porque Phillip Rivers já não é mais o mesmo QB do passado, o que fez com que os Colts tivessem apenas 2 jogos para mais de 300 jardas aéreas no ano.  Já a defesa é boa, ficando entre as 12 melhores da NFL. Os destaques ficam para a defesa contra o jogo corrido (foi a segunda melhor nesse quesito) e os turnovers forçados (25). Porém, a unidade parece sofrer alguns apagões, principalmente no segundo tempo das partidas, então é preciso tomar cuidado com isso.

Crédito foto: Bobby Ellis/Getty Images

BUFFALO BILLS

Para muitos analistas, os Bills são o melhor time da NFL neste momento da temporada, tendo vencido 9 dos últimos dez jogos. Porém, vale lembrar que os Bills já perderam em 2020 para os Titans e os Chiefs, dois times que brigam forte pelo título da AFC. Sem dúvida, um dos motivos para o sucesso de Buffalo é a parceria entre Josh Allen e Stefon Diggs, o que fez com o time tivesse o segundo melhor ataque aéreo da liga. Além disso, na red zone a equipe é praticamente imparável. O setor que pode melhorar no ataque é o dos running backs, que foi pouco produtivo. Já a defesa, apesar de ser a terceira melhor no quesito turnover (com 26), é somente mediana, mas vem mostrando evolução na segunda metade do calendário, especialmente contra o passe.

Crédito foto: Timothy T Ludwig/Getty Images

BALTIMORE RAVENS

Depois dos últimos dois anos, a questão que ronda Baltimore é: será que Lamar Jackson jogará bem nos playoffs? Os Ravens chegam a pós-temporada em bom momento, tendo vencido os últimos cinco jogos. Mas é bom ressaltar que 4 das 5 derrotas da equipe foram contra times que brigam pela AFC (Chiefs, Titans e Steelers duas vezes). De forma geral, os Ravens são uma equipe bem balanceada em todos os níveis. No ataque, o corpo de running backs é muito bom, e por isso o time passou das 110 jardas corridas em todas as partidas e foi o melhor ataque terrestre da NFL. Por outro lado, a equipe ficou em 32° lugar em jardas aéreas e Lamar teve um ano pouco produtivo, principalmente se comparado com seu ano de MVP, e isso precisa mudar para o time ter sucesso. Já a defesa é bastante agressiva pressionando os quarterbacks adversários, e ela está entre as 8 melhores da liga em jardas cedidas pelo chão e pelo ar.

Crédito foto: Will Newton/Getty Images

TENNESSEE TITANS

Diferentemente da temporada passada, quando a equipe chegou até a final da AFC, a defesa dos Titans é o ponto fraco do time, estando entre as cinco piores da NFL. Eles não conseguem pressionar os QBs adversários, e com isso sofrem cedendo muitas jardas aéreas (é o quarto pior time da liga nesse quesito). O único ponto positivo é que Tennessee conseguiu roubar bastante a bola em 2020 (foram 23 turnovers forçados). No ataque, a fórmula é simples e tem funcionado muito bem: corridas com Derrick Henry (que passou das 2 mil jardas e é um dos melhores jogadores da temporada) e muito play-action, dando a possibilidade de Ryan Tannehill administrar o jogo ou soltar o braço em profundidade. Com isso, os Titans tiveram nada menos do que 10 jogos com mais de 30 pontos, sendo cinco deles para mais de 40, e assim ficaram entre os quatro melhores ataques da NFL.

Carmen Mandato/Getty Images