Relação Cruzeiro e Felipão se estremeceu com promessas quebradas e planejamento de elenco

Treinador deixou Raposa no começo desta semana após um conturbado final de relacionamento

Victor Martins
Um homem que acredita ser jornalista, escritor e 'chato'. Decidam vocês qual será a opção escolhida.Formado na Universidade Metodista de São Paulo. No Torcedores desde 2016 ou algo parecido.

Crédito: Foto: Igor Sales/Cruzeiro

Felipão e Cruzeiro decidiram pelo fim de contrato nesta segunda-feira (25) depois de manter de vez a Raposa na Série B do Campeonato Brasileiro. Uma saída que vinha se mostrando cada vez mais próxima nas semanas anteriores ao anúncio da demissão de Luiz Felipe Scolari.

A saída de Felipão da Toca foi resultado de uma série de problemas sentidos entre o treinador e a diretoria, em especial com os problemas financeiros que o clube vem passando e também o fato de que tal crise influiu em falta de contratações consideradas de peso e a relação deste com o elenco.

O Globoesporte.com elencou vários dos problemas que levaram ao encerramento da trajetória do treinador. Os problemas financeiros acabaram impedindo que o técnico conseguisse jogadores experientes para um plantel repleto de atletas jovens e vindos da base. Apesar da chegada de jogadores como Willian Pottker e Rafael Sobis, importantes em alguns momentos da temporada, as punições, tanto a da Fifa como a da Câmara Nacional de Resolução de Disputas (CNRD), que impediam a inscrição de atletas, prejudicaram os planos de Felipão no Cruzeiro.

Seu time maltrata seu coração? 

Deixa que o Clude cuida dele para você!

Jogadores como Gustavo Scarpa, Júnior Urso, Copete e Thiago Santos foram pedidos do treinador à diretoria, que considerou tais nomes ‘fora da realidade do clube’. A não contratação dos jogadores desejados foi um dos motivos que ajudaram no desgaste entre Felipão e o Cruzeiro.

Rusgas entre Felipão e elenco do Cruzeiro

Além dos problemas financeiros relacionados a reforços, outros ligados a não pagamento de salários também irritaram Felipão. Quando aceitou a proposta cruzeirense, ouviu da diretoria a promessa de que não haveria atrasos de salários. Mas há uma série de folhas ainda não pagas pelo clube até o momento, que geraram até protestos do grupo, que não se concentrou para a partida contra o Oeste. O treinador chegou a defender os jogadores por tal atitude.

Mas a relação entre o grupo e o técnico também não era das melhores. Especialmente entre os mais jovens, que foram alvos de críticas e fortes cobranças de um treinador talhado a gostar de elencos mais experientes em sua carreira. O treinador sempre citou que a diretoria não se planejou ao trazer para a Série B um elenco com mais experiência para a disputa da competição.

Com todas estas situações, além de tropeços anteriores e com Felipão, a Raposa ficou na Série B e terá que disputar, agora com novo treinador, mais uma vez a segunda divisão.

(Foto: Igor Sales/Cruzeiro)