Médicos de Maradona diziam que craque tinha “demência alcóolica”

Ex-jogador morreu no fim de novembro de 2020

Matheus Camargo
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Divulgação/Gimnasia La Plata

A morte de Diego Armando Maradona continua movimentando a imprensa argentina. Desta vez, quem publicou uma informação importante sobre a morte do craque foi o jornal Página 12, que teve acesso a uma troca de mensagens entre os médicos Leopoldo Luque, profissional pessoal que cuidava do ex-jogador e acusado de falsificar assinaturas de Maradona, Agustina Cosachov, psiquiatra de ‘Don Diego’ e o psicólogo Carlos Díaz.

Na troca de mensagens, os profissionais da saúde disseram que Maradona teriam “demência alcóolica”, além de “Mal de Parkinson”, mesmo que o ex-jogador jamais tivesse sido diagnosticado. Poucos dias depois, Maradona foi internado para uma cirurgia na cabeça.

O jornal ainda publicou um trecho da conversa entre os médicos do dia anterior ao aniversário de 60 anos do craque. Eles entraram em acordo para reduzirem a medicação para que Maradona “parecesse apresentável”. Vale lembrar que no dia de seu aniversário, Maradona trabalhou e comandou o Gimnasia, time que treinava.

Seu time maltrata seu coração? 

Deixa que o Clude cuida dele para você!

Para encerrar, os médicos sequer se falaram nos últimos dias de novembro, justamente quando se confirmou o óbito do ídolo de Napoli e Boca Juniors. As mensagens foram retiradas dos próprios aparelhos celulares dos médicos, que foram confiscados pela polícia para investigação de negligência.

Leia mais:
Brasileirão 2020? Veja os times que mais somaram pontos em 2021

De fuga e insegurança a destaque e titularidade: como Patrick de Paula saiu de comunidade no RJ para se tornar peça-chave no Palmeiras

CBF deve trocar presidente da comissão de arbitragem após Brasileirão; veja cotados para assumir

Torcedor leitor tem descontos exclusivos no Clude!