Abel Ferreira avalia busca por reforços e garante: “Quem propõe os nomes é o Palmeiras”

Treinador busca não apontar nomes por conta do momento vivido pelo Palmeiras

Bruno Romão
24 anos, jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba, amante da escrita, natural de Campina Grande e um completo apaixonado por futebol. Contato: bruno.romao.nascimento@gmail.com

Crédito: Cesar Greco - Palmeiras

Em entrevista ao programa “Seleção SporTV“, Abel Ferreira avaliou a busca por reforços para a temporada 2021. Apesar da possível indicação de nomes para a diretoria, caso de André Horta, o treinador deixou claro que não exige nomes para chegarem ao clube. Diante disso, o português apenas aguarda o contato dos dirigentes para dar seu parecer, algo que ocorreu com Breno Lopes, herói do título da Libertadores

“O Palmeiras tem um centro de recrutamento, de análise, que nos propõem jogadores. Os nomes que se falam não é o Abel que diz. Quem propõe é o Palmeiras. Nós não contratamos jogadores para Abel. Todos aqueles são sempre propostos pelo Palmeiras ao Abel. Os jogadores são propostos e eu parto do principio que o clube tem capacidade de contratar. O jogador que nos deu a Libertadores estava na segunda divisão”, declarou.

Sendo assim, sem citar o nome de Borré, Abel Ferreira admitiu que o clube precisa de mais um centroavante. Isso porque o técnico enxerga que o Palmeiras possui uma carência no setor.

“Willian e Rony não são centroavantes, e o Luiz Adriano é também um centroavante de apoio“, completou.

CASAMENTO COM O PALMEIRAS

De férias, Abel Ferreira também comentou sobre a escolha de deixar a Europa para defender o Palmeiras. Mesmo correndo um grande risco, ele decidiu encarar a missão e vem colhendo os frutos da sua escolha.

“Minha esposa está comigo há 22 anos. Ela cobra, às vezes, mais do que o próprio torcedor… Portanto, ela sabe que existe dois amores dentro de mim. Até agora foi possível conciliar os dois. Acho que se casou muito bem a filosofia do grupo, vi a pesquisa (da diretoria) daquilo que queriam para treinador. Casou muito bem. Portanto, acabou sendo uma aposta ganha das duas partes. Foi um risco da minha parte e do Palmeiras também“, expressou.

LEIA MAIS