Steve Kerr afirma que Stephen Curry terá tempo limitado em quadra: “Vamos tentar mantê-lo nessa marca de 34, 35 minutos”

Na visão do técnico do Golden State Warriors, atleta da franquia tem que pensar no futuro; Steve Kerr afirmou que temporada é atípica por conta do COVID-19

Willian Ferreira
Colaborador do Torcedores.com e contador de histórias do esporte.

Crédito: Twitter/Reprodução

A temporada 2020/2021 da National Basketball Association (NBA) é a segunda sob os efeitos da pandemia do coronavírus. É a primeira, entretanto, que começa já com tal marca. Algumas franquias, que não foram elegíveis para entrar na bolha da NBA, no ESPN Wide World of Sports Complex, estão sentindo pela primeira vez como é atuar em tais condições. Uma delas é o Golden State Warriors. E tal situação está motivando mudanças na equipe, afirma Steve Kerr, head coach da franquia.

Na visão de Steve Kerr, a pandemia e tudo o que ela traz impede, por exemplo, que a grande estrela da franquia não irá jogar o tempo que dele se espera. “Para mim, para nossa organização, não vamos colocar Stephen Curry lá por 40 minutos para perseguir as vitórias. Temos outros jogos. Queremos que ele jogue em alto nível por muitos anos. Então, vamos manter a disciplina e tentar mantê-lo nessa marca de 34, 35 minutos por partida”, destacou o head coach.

Futuro

O treinador também falou sobre o futuro do atleta na NBA. “Estou num jogo longo. Contamos com Stephen Curry por muito tempo, muitos anos pela frente. E não estou interessado em trabalhar nesta temporada. É uma temporada difícil devido aos regulamentos do COVID-19 e sem torcida nas quadras”, finalizou Steve Kerr em entrevista após a derrota do Golden State Warriors para o San Antonio Spurs, no dia 08 de fevereiro.

LEIA MAIS
Chamado de “bonitão” por companheiro, experiente quarterback da NFL afirma: “Ainda tenho gasolina no tanque e posso fazer muito mais”
Torcedor que usou laser para atrapalhar Tom Brady na NFL é condenado a pagar multa e jamais entrará em estádio novamente
Nike cancela lançamento de tênis que tinha bandeira dos EUA ligada à segregação racial após protesto de ex-jogador da NFL