Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Blake Griffin ironiza críticas à “panela” do Brooklyn Nets: “Tudo o que eu ouvi durante os últimos anos foi sobre o quão ruim eu sou”

Em entrevista ao jornal New York Post, Blake Griffin destacou que “tudo o que ouviu durante os últimos dois anos foi sobre o quão ruim ele era”

Willian Ferreira
Colaborador do Torcedores.com e contador de histórias do esporte.

Crédito: Twitter/Reprodução

Para muitos, o melhor elenco da temporada 2020/2021 da National Basketball Association (NBA) é o do Brooklyn Nets. A equipe, que já tinha Kevin Durant e Kyrie Irving, contratou mais grandes destaques para a temporada. James Harden e LaMarcus Aldridge foram alguns deles. Para completar o elenco, Blake Griffin, ala-pivô e ala que estava no Detroit Pistons, também foi contratado. E, em entrevista ao jornal New York Post, ele respondeu críticas com ironia.

Na visão de muitos fãs de basquete, o Brooklyn Nets formou uma “panela” para ser campeão. Mas, de acordo com o novo contratado da franquia de New York, passa longe de ser assim. “É estranho. Tudo o que eu ouvi durante os últimos dois anos foi sobre o quão ruim eu sou. E agora vem tudo isso”, ironizou Blake Griffin.

Carreira e recomeço

Na faculdade, Blake Griffin jogou no Oklahoma Sooners enquanto atuava na National Collegiate Athletic Association (NCAA), entidade que comanda os esportes universitários nos Estados Unidos. Selecionado na primeira escolha geral do Draft NBA 2009, ele atuou no Los Angeles Clippers ao chegar na liga. Ficou na franquia da California até 2018, quando se transferiu para o Detroit Pistons. No último período de free agency, o jogador, seis vezes presentes em edições do All-Star Game, foi para o Brooklyn Nets.

LEIA MAIS
Chamado de “bonitão” por companheiro, experiente quarterback da NFL afirma: “Ainda tenho gasolina no tanque e posso fazer muito mais”
Torcedor que usou laser para atrapalhar Tom Brady na NFL é condenado a pagar multa e jamais entrará em estádio novamente
Nike cancela lançamento de tênis que tinha bandeira dos EUA ligada à segregação racial após protesto de ex-jogador da NFL