Corinthians bem que poderia apostar em Fagner pelo meio

Com 31 anos, lateral direito poderia dar mais mobilidade à bola do que vemos atualmente com Ramiro.

fernandogalvao
Colaborador do Torcedores

A ideia pode parecer estapafúrdia, mas não é de hoje que considero o Fagner um dos jogadores de maior habilidade e, principalmente, mobilidade com e sem a bola. Titular da posição desde 2014, ele é, sim, um dos melhores da posição jogando no país, mesmo com algumas oscilações.

Pois que chega a um momento da carreira em que a a dinâmica pode cobrar um preço com tantas idas e vindas ao ataque. Fagner passou dos 30 e a tendência é perder rendimento para esse vai-e-vem.

Exatamente por isso eu pensaria em modificar sua forma de atuar. Olhando para o elenco do Corinthians, em que Igor Formiga pode ser testado, por que não experimentar o atual titular da lateral pelo meio, como interior?

Está em dúvida sobre qual curso de faculdade escolher?

Fagner teria uma faixa menor de movimentação. De área a área, indo e vindo. Com a bola no pé, segundo o portal de estatísticas SofaScore, ele consegue criar grandes chances. Seus números defensivos são melhores do que os de Ramiro, por exemplo, e em passes certos, a diferença é bem pequena.

Claro que a saída era contratar ou achar alguém na base que pudesse apoiar a saída de bola do Gabriel e fazer com que ela girasse do meio para frente, desafogando a função do meia esquerda, seja Cazares, Vital ou Luan.

Num momento em que o Corinthians não pode investir em alguém por falta de grana, tentar uma novidade pode ser a saída. Testa em treinos, primeiro, e depois vê como sai em jogo. Pior do que temos visto não deve ser.

Rodrigo Coca / Agência Corinthians

Comparando Fagner e Ramiro no Brasileirão, temos:

  1. Finalizacão – 0,7 – 0,7
  2. Grandes chances criadas – 4 – 2
  3. Passes decisivos – 1.5 – 0.6
  4. Assistências – 3 – 1
  5. Passes certos – 76% – 78%
  6. Na defesa – 81% – 85%
  7. No ataque – 66% – 72%
  8. Bola longa – 42% – 56%
  9. Lançamentos – 43% – 65%

Ou seja, Ramiro leva vantagem para fazer as inversões de bola, mas no jogo curto, a diferença é pequena e na fase de criação, Fagner leva a melhor com assistências, passes decisivos e na articulação das grandes chances.

Defensivamente

  1. Interceptação – 1.7 / 1.4
  2. cortes – 2.1 – 0.8
  3. disputas vencidas: 47% – 43%
  4. No chão – 53% – 39%
  5. Aéreas – 33% 49%

Insisto que seria uma tentativa. Uma opção para trazer alguém que sabe dar tratos à bola, com boa troca de passe, imprime velocidade por dentro e por fora, além de usar o Igor com o vigor físico que tem.

Em um clube de poucos recursos financeiros, olhar para o elenco e achar soluções parece ser o mais básico a ser feito. E testes são feitos para isso.

LEIA MAIS:  Corinthians precisa ser apresentado para a Dona Bola  

Corinthians: Cazares, Jemerson e Otero não devem renovar contrato e clube não deverá contratar reforços