Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Egídio move ação contra Cruzeiro por direitos de imagem não pagos

Lateral, hoje no Fluminense, move dois processos conta Raposa; valor de segunda ação passa dos R$ 1,4 milhão

Victor Martins
Um homem que acredita ser jornalista, escritor e 'chato'. Decidam vocês qual será a opção escolhida.Formado na Universidade Metodista de São Paulo. No Torcedores desde 2016 ou algo parecido.

Crédito: BELO HORIZONTE/MG - 06.07.2019: Jogo-treino entre Cruzeiro x Inter-MG, na Toca da Raposa 2, em Belo Horizonte. Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro IMPORTANTE: Imagem destinada a uso institucional e divulgação, seu uso comercial está vetado incondicionalmente por seu autor e o Cruzeiro Esporte Clube. IMPORTANT: image intended for institutional use and distribution. Commercial use is prohibited unconditionally by its author and Cruzeiro Esporte Clube.

O Cruzeiro volta a sofrer com ações de jogadores na Justiça. De acordo com o Globoesporte.com, o lateral-esquerdo Egídio entrou com um processo para cobrar direitos de imagem que não foram pagos pela equipe mineira.

Esta ação cobra R$ 1.482.962,00 e, além de direitos de imagem, também cobra valores que não foram pagos pelos cruzeirenses quando da rescisão de seu contrato com o clube. É a segunda vez que o atleta, que atualmente defende o Fluminense, entra com processo contra o antigo time.

Nesta ação, Egídio relata que, quando de sua rescisão, assinou um acordo com o Cruzeiro para que a Raposa pagasse R$ 980 mil em direitos de imagem, a maior parte (R$ 560 mil) de direitos de imagem entre maio e dezembro de 2019. A outra parte (R$ 420 mil) pela rescisão. O valor seria pago parceladamente (20 partes de R$ 49 mil) começando em janeiro de 2020. Mas nenhuma das parcelas foi paga.

Por causa disto, a ação cobra o valor devido integral, que teve parte abdicada pelo próprio jogador (R$ 480 mil) de receber para que o acerto acontecesse. A cobrança é feita juntamente com uma empresa da qual é sócio, a Ribeiro & Araújo Gerenciamento Esportivo Ltda. No processo, pede que o Cruzeiro seja citado para o pagamento ou penhora de receitas do clube.

Uma outra ação, esta de R$ 5,6 milhões, movida por Egídio, está na Justiça do Trabalho. O jogador cobra pagamentos não pagos e outras verbas de rescisão. Também houve um acordo entre as partes para que R$ 2,3 milhões fossem pagos parceladamente ao lateral, mas estes pagamentos não teriam sido feitos.

LEIA MAIS

Cruzeiro: Ramon pede ‘cautela’ em partidas semifinais do Mineiro