Flamengo tem interesse em “irmão” de Arrascaeta; jogador pretende deixar a Europa

Flamengo trouxe até o momento somente um reforço para a temporada 2021

Marcel Thomé
Colaborador do Torcedores.com

Crédito: Getty Images

O Flamengo já avisou que não pretende fazer muitas contratações no mercado da bola 2021, mas está atento às chamada “oportunidades de mercado”. O nome do volante Lucas Torreira, que pertence ao Arsenal-ING e está emprestado ao Atlético de Madrid-ESP vem sendo monitorado pelo clubes, segundo o colunista Bruno Andrade, do UOL Esporte.

O uruguaio vive situação delicada na carreira, pois não vem sendo muito aproveitado na equipe espanhola e recentemente perdeu a mãe, Viviana di Pascua, vítima da Covid-19 com apenas 53 anos.

LEIA MAIS: Mercado da bola: 30 negociações que podem ser concretizadas nesta semana no Brasil

O pesadelo pessoal fez com que o jogador manifestasse publicamente a vontade de retornar à América do Sul para ficar mais próximo da família.

A primeira opção de Torreira, de 25 anos, seria o Boca Juniors, clube pelo qual torce desde criança, mesmo sendo uruguaio, mas o Flamengo surge como uma alternativa.

No clube carioca, além de estar mais perto de sua família, Torreira também se juntaria a Arrascaeta, considerado um “irmão” para o atleta, já que ambos têm amizade desde jovens e são presenças constantes na Seleção Uruguaia.

Vale lembrar que Torreira tem contrato com o Arsenal até junho de 2023 e o clube inglês pagou nada menos do que 30 milhões de euros à Sampadoria em 2018 para contratar o atleta.

Pai revela que Boca Juniors e dois brasileiros mostraram interesse

Nos últimos dias, Ricardo Torreira, pai do jogador da seleção uruguaia revelou que seu filho quer jogar um dia no Boca Juniors e que recebeu ainda sondagens de clubes do Brasil, sem citar diretamente o Rubro-Negro.

“Lucas não conhece a Argentina, mas é torcedor do Boca quando menino. Obviamente, essa é a primeira opção para ele, mas já recebi outras ligações de times brasileiros”, disse em entrevista à Rádio Continental, da Argentina.

“O Lucas está sofrendo muito para ficar sozinho aí na Europa. Estamos vendo como podemos acompanhá-lo neste mês e meio até o final da temporada. Quando você perde uma pessoa como a gente, querida, você percebe que a vida acontece para ti do outro lado. Se o Lucas quer vir ao Boca, que venha”, completou o pai do atleta.

LEIA MAIS: