Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Os 10 maiores estrangeiros da história da NBA

Basquete dos Estados Unidos está marcado com lendas estrangeiras.

Lucas Silva
Jornalista | Fundador e editor-chefe do Saida Falsa | ADM no Athletic Club Brasil. Apaixonado pelo futebol americano desde 2008, sofro semanalmente com Corinthians, New Orleans Saints, Miami Heat e Edmonton Oilers.

Crédito: Mesmo com "pouco" tempo de NBA, Giannis Antetokuonmpo figura entre os maiores jogadores da atualidade (Foto: Milwaukee Bucks)

A NBA atualmente possui mais de 100 atletas estrangeiros, muito deles são muito talentosos, estando presentes em All-Stars, nos melhores times da temporada ou mesmo vencendo o MVP.

A princípio, não é de hoje que estrangeiros fazem sucesso na NBA e nessa lista – um pouco polêmica, acho -, listo aqui os dez maiores estrangeiros da história da NBA.

*Nota: esta lista não está enumerada do menor para o maior. Além disso, a opinião abaixo não reflete a opinião do Torcedores.

Drazen Petrovic

Mesmo tendo apenas quatro temporadas e somando um All-NBA, em 1992/93, o “Mozart do basquetebol” é considerado como um dos melhores jogadores europeus da história.

Croata, Petrovic passou três anos entre Iugoslávia e Espanha até se juntar à NBA em 1989, draftado pelo Portland Trail Blazers.

Contudo, sua melhor fase foi no New Jersey/Brooklyn Nets, onde alcançou suas melhores médias na carreira.

Porém, Petrovic teve sua carreira interrompida quando faleceu aos 28 anos em um acidente de carro na Alemanha.

O ala-armador soma duas medalhas de prata nas Olimpíadas de 1988 e 1992, uma Copa do Mundo da FIBA em 1990 e teve sua camisa 3 aposentada pelos Nets.

Steve Nash

Um dos melhores playmakers da liga durante os anos 2000, Nash marcou seu nome na NBA.

Draftado pelo Phoenix Suns em 1996, Nash passou ainda por Maverick e Lakers, mas foi no Arizona que ele chegou no auge, vencendo dois MVPs, oito All-Stars, sete All-NBA, cinco vezes líder em assistência e parte do clube 50-40-90.

Entretanto, Nash é mais um da seleta lista de grandes jogadores que nunca venceram um título.

Atualmente, Steve Nash é técnico do Brooklyn Nets.

Yao Ming

O gigante chinês de 2,29 é um dos jogadores que marcou a NBA durante os anos 2000.

Primeira escolha geral do Draft de 2002, o pivô do Houston Rockets teve uma boa carreira, todavia sofrendo muito com lesões.

Yao foi oito vezes All-Star entre 2003–2009 e 2011, cinco vezes All-NBA, e NBA All-Rookie First Team.

Hoje, Ming é embaixador da NBA na China, além de ser membro do Hall da Fama desde 2016.

Tony Parker

Francês nascido na Bélgica, Tony Parker fez parte da dinastia do San Antonio Spurs dos anos 2000.

Atuando ao lado de Tim Duncan e Manu Ginóbili, Parker foi igualmente importante nos quatro campeonatos dos Spurs.

Na equipe de Gregg Popovich, o armador também conquistou um Finals MVP, seis vezes All-Stars e um All Rookie First Team.

Parker ainda teve uma passagem pelo Charlotte Hornets na temporada em 2019, mas não chegou a terminar a temporada com a equipe.

Manu Ginóbili

Medalhista olímpico em 2004 com a Argentina, Manu Ginóbili tem sua importância única na NBA.

No geral, acumula quatro títulos, dois All-Stars, dois All-NBA e um NBA Sixth Man of the Year.

Ginóbili é marcadamente, um jogador conhecido por jogadas decisivas.

Ídolo e vencedor no San Antonio Spurs, foi responsável por popularizar o “Euro step” na liga, além de ser um dos maiores sextos homens da história.

Pau Gasol

Irmão mais velho de Marc Gasol, Pau Gasol atuou em 18 temporadas entre Grizzlies, Lakers, Bulls, Spurs e Bucks.

O espanhol foi companheiro de Kobe Bryant durante no bicampeonato de 2009 e 2010 dos Lakers e, sem dúvida, foi peça fundamental para a sobrevida da franquia no final dos anos 2000.

Além disso, Pau venceu o prêmio de Calouro do Ano (2002), além de seis All-Stars e quatro All-NBA. Hoje, aos 40 anos, atua no Barcelona, clube que o revelou no basquete.

Arvydas Sabonis

Assim como Petrovic, o lituano Arvydas Sabonis atuou por pouco tempo na NBA, somando sete temporadas entre 1995 e 2001 e 2002, ambas pelo Portland Trail Blazers.

No geral, Sabonis fez a maior parte de sua carreira na Espanha. E foi por lá que ele foi selecionado pelos Blazers em 1986.

Mesmo assim, o talentoso pivô jogou mais de 450 jogos com a equipe do Oregon, com média de 12 pontos por jogo, 7.3 rebotes e 78% nos lances livres.

Por fim, Arvydas é pai de Domantas Sabonis, jogador que defende atualmente o Indiana Pacers.

Dirk Nowitzki

Um dos jogadores mais queridos pela NBA, Dirk Nowitzki é certamente o maior jogador da história do Dallas Mavericks.

Nona escolha geral do Draft de 1998, o alemão jogou até 2019 na franquia do Texas, levando Dallas a duas finais e vencendo o título em 2011.

Além de um MVP, 14 All-Stars, 12 All-NBA e um Finals MVP, Nowiztki era um arremessador como poucos, de muita acurácia e técnica única. O “One-Legged Fadeaway” de Dirk virou sua marca registrada na liga e na quadra dos Mavericks.

Giannis Antetokounmpo

Podemos dizer o grego até aqui, certamente, está a passos de se tornar o maior estrangeiro da liga.

Em sete anos no Milwaukee Bucks, Giannis soma dois MVPs, além de quatro All-NBA, cinco All-Stars, um prêmio de Jogador Defensivo do Ano e três All-Defensive. Tudo isso com apenas 26 anos de idade.

O que pode alavancar ainda mais seu status é o título de campeão da NBA.

Afinal, conseguirá Giannis vencer o título? Ele poderá ser o maior estrangeiro da história? Veremos com o tempo.

Hakeem Olajuwon

“The Dream” é inegavelmente o pivô mais talentoso da história.

De origem nigeriana, Hakeem foi a primeira escolha geral da histórica classe de 1984, a mesma que trouxe Michael Jordan.

Ídolo em Houston, Olajuwon venceu dois títulos em 1994 e 1995, sendo MVP das finais em ambas as disputas. Ele foi MVP em 1994.

Além disso, era peça principal do “Dream Team” dos Rockets que tinha Scottie Pippen e Charles Barkley.

Hakeem ainda jogou sua última temporada pelo Toronto Raptors em 2001, mas se aposentou logo depois.

VEJA TAMBÉM: