Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Alê Oliveira exalta profissionalismo de André Henning, mas lamenta relação conturbada e revela: “Pedi uma arma para me matar”

Alê Oliveira lamentou o fim da amizade com o narrador, e contou que tentou falar com o ex-companheiro em alguns momentos

Danielle Barbosa
Jornalista. Escrevendo para o Torcedores desde 2014.

Crédito: Reprodução

O comentarista Alê Oliveira teve sua saída da TNT Sports confirmada nos últimos dias após passar cerca de cinco meses na ‘geladeira’ da emissora por problemas pessoais com a ex-esposa, que o acusou de violência doméstica. Em entrevista ao podcast ‘Sistema Solari’, ele falou sobre sua relação com o narrador André Henning, um dos principais nomes do canal.

Alê Oliveira contou que o narrador era seu amigo mais próximo dentro da TNT Sports, antes Esporte Interativo, mas que a relação entre eles acabou desandando. “Eu nunca falei isso, até porque eu não sabia que estava nesse nível, fiquei sabendo esses dias. Ele sempre foi o cara mais meu amigo na minha trajetória no Esporte Interativo, sempre. O Mauro Beting me deu muita força. Eu levei pra lá o Guilherme Pallesi, o Rodrigo Rodrigues, que é o meu melhor amigo da minha vida no jornalismo. O André gosta das mesmas coisas que eu. Gosta de tomar uma, de resenha e tal. Eu sempre ficava com ele. Ele sempre foi o cara mais próximo de mim lá no Esporte Interativo”, contou.

+ Conversas divulgadas, vídeos e BOs: comentarista Ale Oliveira é acusado de violência doméstica

“Mas tem umas loucuras que eu não consigo entender, envolvendo o Rodrigo [Rodrigues], envolvendo política. A gente entrou em uma discussão muito louca porque ele achava que eu tinha que ter um comportamento e eu achava que ele tinha que ir cuidar da vida dele. É muito fácil você julgar se você não está longe da sua filha, se você não tem sua carreira ameaçada, se você não perde o seu melhor amigo e se você não tem um montão de mentiras a seu respeito. Eu não tenho dúvida nehuma que seu eu tivesse ficado em casa esse tempo todo [de pandemia], eu já tinha morrido. Já tinha me jogado do meu apartamento ou dado um tiro na minha cabeça, por que eu não aguento”, desabafou o comentarista.

“[Eu tivesse esse momento] De pedir uma arma para me matar. Porque é o meu trabalho, a minha filha, meu amigo… são as coisas que eu mais gosto nesse mundo. Então, o cara fala assim “fica em casa”, pra ele é fácil. Ele não está passando por isso. Para ele é mole e fácil ficar em casa. Eu quis passar isso e ele não entendeu. Eu não voltou concordar com ele porque ele é o André Henning e a gente não se falou mais”, acrescentou.

Apesar dos problemas de relacionamento, Alê Oliveira fez questão de destacar o profissionalismo de André Henning e apontou o narrador como um dos melhores profissionais com quem já trabalhou. O comentarista, que hoje toca o próprio canal no YouTube, lamentou ter perdido a amizade do ex-companheiro.

“Nas transmissões a gente se dava bem. O André é tão bom profissional, e é um dos melhores que eu já trabalhei, que a gente viralizou sem se falar. Quando eu falava alguma loucura e ele falava ‘esse é o nosso Alê Oliveira’, a gente já não se falava. Eu lamento muito por perder a amizade dele, mas lamento muito dele ser assim. É um prejuízo pra ele. Mas ele foi um dos melhores profissionais que eu já trabalhei e foi meu melhor amigo lá no Esporte Interativo, mas infelizmente isso se perdeu. Não é a primeira e talvez não seja a última decepção que eu tenha no meio da comunicação. Eu tentei falar com ele em alguns momentos. (…) Eu não sou de aguardar rancor, mas eu fico triste”, completou.

LEIA MAIS:
Em rede social, Milton Neves detona Milton Leite: “Covardão, ingrato”
Alê Oliveira revela único ex-companheiro “do sofá” da ESPN com quem conversa e afirma: “Acho que a TV não é para mim”
Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes