Cicinho revela que ex-atacante do São Paulo enfrentou “fúria” de Lugano: “Foi no soco”

Lugano não costumava aliviar nem para os próprios companheiros de São Paulo

Bruno Romão
24 anos, jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba, amante da escrita, natural de Campina Grande e um completo apaixonado por futebol. Contato: bruno.romao.nascimento@gmail.com

Crédito: Reprodução

Durante o programa “Arena SBT”, a bronca de Diego em Gabigol, durante a final do Carioca, foi debatida. Dessa forma, Cicinho recordou que Lugano costumava dar bronca nos próprios companheiros, e Diego Tardelli escapou de levar socos do uruguaio após ser cobrado. Por conta do ocorrido, o ex-zagueiro do São Paulo precisou ser contido para não agredir o atacante. Porém, tudo foi resolvido alguns momentos depois.

“Ele não chegava dando porrada porque é falta de respeito, mas apontava o dedo na cara. O Diego Tardelli mandou o Lugano para aquele lugar porque o Lugano cobrou ele, e o Lugano foi no soco. Ele entrou na casinha, que é o armário e o Lugano tentando dar soco. Isso no intervalo. O povo (do São Paulo) separando e o Lugano tentando bater. O muchacho era louco. Ali é todo muito com sangue quente. Não tem mamãezinha nem papaizinho. Quem é maduro, entende. O próprio Lugano pedia desculpas depois. Jogo que segue”, declarou.

Além disso, Cicinho contou que Rogério Ceni, apesar de ser capitão do São Paulo por muito tempo, era menos enérgico. O comentarista também brincou sobre a forma como Lugano dialogava como os companheiros, algo que se mantém até os dias atuais.

Quem chega e quem sai dos clubes?

 

“O Rogério era menos explosivo, era mais letrado. Lugano não fala português até hoje. Só entendia ‘muchacho’.”, completou.

LEIA MAIS