Após Atlético-GO, mais um clube do Brasil aceita vacinas oferecidas pela Conmebol

Conmebol fechou parceria com a laboratório Sinovac e disponibilizou imunizantes para times da América do Sul

Bruno Romão
24 anos, jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba, amante da escrita, natural de Campina Grande e um completo apaixonado por futebol. Contato: bruno.romao.nascimento@gmail.com

Crédito: Divulgação/Conmebol

Depois do Atlético-GO imunizar seus atletas no Paraguai, o Atlético-MG comunicou que irá aceitar as vacinas oferecidas pela Conmebol. Em parceria com o laboratório chinês Sinovac Biotech, a federação acertou o recebimento de 50 mil doses do imunizante. O lote, segundo a entidade,  foi “fabricado especialmente para o futebol sul-americano e que, de nenhum modo, são vacinas destinadas a qualquer outro fim”.

GALO TEVE APROVAÇÃO DA CBF

Com aprovação do secretário-geral da CBF, Walter Feldman, o Galo decidiu aceitar a opção de imunizar o departamento de futebol do clube contra a Covid-19. Sendo assim, a diretoria enxergou uma oportunidade para proteger os empregados do clube e seus familiares. Agora, o processo será feito no no Paraguai, onde o time vai medir forças contra o Cerro Porteño, pela Libertadores.

Quem chega e quem sai dos clubes?

 

“As vacinas são exclusivamente destinadas aos clubes que disputam as competições da Conmebol. Não há motivo para não aproveitar esta oportunidade”, declarou Sérgio Coelho, presidente do Atlético-MG.

Recentemente, Alejandro Domínguez, presidente da Conmebol, celebrou a parceria. Agora, a expectativa é que todas as seleções presentes na Copa América sejam vacinadas, com as equipes do continente também podendo exercer a opção, mas sem nenhuma obrigatoriedade.

“A vacinação é um avanço enorme para o que sempre desejamos: a retomada do futebol sul-americano, com sua explosão de cor, alegria e paixão em campo e nas arquibancadas. A Conmebol está trabalhando incansavelmente e estamos orgulhosos dos passos que estamos tomando. Somos a primeira confederação a fazer a vacinação em massa de seus atletas a fim de assegurar a realização da Copa América”, declarou em publicação nas redes sociais.

LEIA MAIS

Conmebol define sedes das finais da Libertadores e Sul-Americana para 2021 e 2022