Meia do Fluminense não se reapresenta e espera rescisão na Justiça

O jovem Miguel de 18 anos ainda não se reapresentou no Fluminense após alegar atraso de pagamento de reajuste salarial na Justiça

Gabriel Neves
26 anos. Jornalista formado na Universidade Presbiteriana Mackenzie. Passagens por Footstats e Placar Uol. Participante do podcast ''As Quatro Forças''.

Crédito: Lucas Merçon/Fluminense

Fluminense foi pego de surpresa na última sexta-feira (7) com a informação de que o meia Miguel havia entrado na Justiça pedindo a rescisão de contrato. Desde então, Miguel não se reapresentou ao clube. O atleta espera a decisão da Justiça para decidir seu futuro.

Miguel alega no processo movido que não obteve o pagamento do reajuste salarial há quase um ano. O reajuste estaria previsto no contrato. Além disso, não houve recolhimento de parcelas do FGTS. O processo corre em segredo de Justiça na 9ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro.

O técnico Roger Machado foi perguntado sobre o que achava da atitude de Miguel, mas preferiu deixar o assunto sob responsabilidade da diretoria.

Quem chega e quem sai dos clubes?

 

“Eu vou te pedir desculpa, mas como não é uma questão técnica, é uma ação administrativa, foge à minha alçada comentar um assunto que foge da questão do campo. O que posso dizer é que existem outros meninos na base que estão há bastante tempo esperando a oportunidade e para a vaga de um jogador que saiu vamos buscar um outro atleta lá da fábrica de Xerém para suprir essa ausência que para a gente é importante, é sentida, porque contamos com todo mundo. O Miguel sempre esteve no nosso planejamento, mas como frisei no início, não gostaria de comentar um assunto que não é mais técnico, é administrativo”, declarou o treinador.

A situação de Miguel vem sendo monitorada por diversos clubes. Há pouco tempo a Juventus, da Itália, havia dado sinais de interesse no atleta.

LEIA MAIS:

Meia do Fluminense entra na Justiça e pede rescisão de contrato

Mercado da Bola: Fluminense acerta empréstimo de jogador para time da Série B

UEFA abre investigações sobre a criação da Superliga e três clubes podem ser punidos