Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Grêmio executa os conceitos de Tiago Nunes com perfeição e amassa o Aragua sem qualquer sinal de constrangimento

Na coluna PAPO TÁTICO, Luiz Ferreira explica como o Tricolor Gaúcho destruiu a equipe venezuelana pela Copa Sul-Americana

Luiz Ferreira
Produtor executivo da equipe de esportes da Rádio Nacional do Rio de Janeiro, jornalista e radialista formado pela ECO/UFRJ, operador de áudio, sonoplasta e grande amante de esportes, Rock and Roll e um belo papo de boteco.

Crédito: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Este que escreve sabe muito bem que o Aragua Fútbol Club (equipe da cidade de Maracay, na Venezuela) praticamente não criou problemas para um Grêmio muito intenso, envolvente e que aproveitou cada vacilo do seu adversário para aplicar a sua maior goleada em competições internacionais. Os inapeláveis 8 a 0 mostram também um Tricolor Gaúcho mais solto e mais adaptado aos conceitos de Tiago Nunes, técnico que substituiu Renato Gaúcho no comando do Tricolor Gaúcho. Ainda que o calendário insano do nosso futebol prejudique todo e qualquer espetáculo, é preciso dizer que o Grêmio vem mostrando um futebol consistente nas últimas partidas. Os cem por cento de aproveitamento na Copa Sul-Americana (conquistados em meio a todo processo de assimilação das ideias do novo treinador junto ao elenco gremista) deixaram bem claro que essa equipe ainda merece muito respeito por parte dos adversários.

Tiago Nunes sabe que esse processo de adaptação e assimilação dos seus conceitos num Grêmio que já estava mais do que acostumado a ver Renato Gaúcho na beira do gramado precisa de tempo e paciência de ambas as partes. Isso explica a escalação de Darlan no meio-campo na vaga deixada por Jean Pyerre, desfalque na partida desta quinta-feira (6) por conta de uma lesão muscular. O 4-2-3-1 foi mantido (ainda que Maicon se alinhasse ao camisa 15 numa variação para o 4-1-4-1 já feita pelo treinador no Athletico Paranaense campeão da Copa do Brasil) e tinha Luiz Fernando e Ferreira entrando em diagonal para aproveitar as tabelas com Diego Souza, Rafinha voando pela direita e Thiago Santos atento na proteção da zaga gremista e bastante cuidadoso na saída de bola. Do outro lado, o Aragua sofria demais com a marcação alta do Grêmio. Não demorou muito para que a equipe venezuelana se desmanchasse me campo.

Gremio vs Aragua - Football tactics and formations

Darlan jogou um pouco mais avançado e ajudou a desmontar as linhas defensivas do Aragua com muita movimentação e bons passes. Luiz Fernando e Ferreira procuravam Diego Souza e Maicon ainda subia bastante ao ataque. O Grêmio de Tiago Nunes executou muito bem os movimentos do 4-2-3-1/4-1-4-1 preferido do treinador.

Luiz Fernando (jogador que teve poucas oportunidades com Renato Gaúcho) abriu o placar aos dois minutos iniciou o massacre na Arena do Grêmio. Aos 17 minutos, o mesmo camisa 33 fez o segundo. Aos 20, Diego Souza converteu penalidade sofrida por… Luiz Fernando! Ferreirinha marcou mais duas vezes (aos 21 e aos 23 minutos). E aos 27 do primeiro tempo, Arquímedes Hernández tentou cortar cruzamento da direita e acabou marcando contra. Sem forçar muito, o Grêmio abriu uma vantagem de seis gols antes dos 30 minutos da primeira etapa. No entanto, por mais que o Aragua tenha apresentado problemas graves demais para uma equipe que disputa uma Copa Sul-Americana, o escrete comandado por Tiago Nunes fez o que se esperava dele: partiu para o ataque e tratou de liquidar logo a partida mostrando muita organização e ótimo posicionamento sem a bola e na marcação mais alta em cima da equipe venezuelana.

Tiago Nunes aproveitou bem a velocidade de Luiz Fernando e Ferreira pelos lados do ataque gremista e apostou numa marcação mais alta para provocar os erros da equipe do Aragua. O camisa 33 foi o grande nome do primeiro tempo com dois gols e muita movimentação. Foto: YouTube / Conmebol Sudamericana

Por conta da enorme vantagem obtida no primeiro tempo, o Grêmio diminuiu o ritmo após o intervalo e viu o Aragua balançar as redes de Brenno com Juan García completando cruzamento de Duche. O árbitro equatoriano Guillermo Guerrero, no entanto, assinalou impedimento do camisa 9 no lance. Mesmo assim, esse foi o único “susto” que o escrete comandado por Tiago Nunes sofreu durante todo a partida desta quinta-feira (6). O técnico gremista mandou Churín, Paulo Miranda, Guilherme Azevedo, Pedro Lucas e Ricardinho para o jogo com o claro objetivo de poupar alguns dos seus principais jogadores e dar rodagem a outros. A formação tática básica da equipe gaúcha (o 4-2-3-1 com variação para o 4-1-4-1) também não mudou. Maicon marcou o sétimo de pênalti aos 18 minutos e Churín fechou o caixão do Aragua sem qualquer sinal de constrangimento completando belo cruzamento de Diogo Barbosa aos 31 minutos.

Aragua vs Gremio - Football tactics and formations

Churín, Paulo Miranda, Guilherme Azevedo, Pedro Lucas e Ricardinho entraram no segundo tempo e deram sequência ao plano de jogo de Tiago Nunes e ao massacre do Grêmio. Ainda que o Aragua estivesse (apenas um pouco) melhor posicionado nos 45 minutos finais, a frágil equipe venezuelana foi vazada mais duas vezes.

Por mais que a goleada contra o Aragua Fútbol Club não sirva de parâmetro para análises mais profundas, a verdade é que o Grêmio parece mais confiante e com mais recursos do que há alguns meses. Tudo por conta da já clara assimilação dos conceitos trabalhados por Tiago Nunes na equipe gaúcha. Com Maicon um pouco mais avançado e se juntando ao meia central do 4-2-3-1 usual do treinador, com muita movimentação no terço final para abrir as linhas defensivas e com Diego Souza tendo mais companhia no setor ofensivo, o Grêmio vai pintando como um dos clubes que podem surpreender muita gente nessa temporada. Ao mesmo tempo, Tiago Nunes parece mais flexível com relação aos seus conceitos e tenta se adaptar às características do elenco que tem à disposição. Não é por acaso que o Grêmio está com cem por cento de aproveitamento na Copa Sul-Americana e fazendo boa campanha no Campeonato Gaúcho.

A manutenção de boa parte dos jogadores e as chegadas de Rafinha e Thiago Santos são outros trunfos do Grêmio para essa temporada. Tiago Nunes não terá nenhum “super time” sob seu comando. Mas terá uma equipe muito competitiva que pode aliar a forte marcação no meio-campo com um ataque altamente intenso e envolvente. E isso sem falar que a nova safra de jogadores do Tricolor Gaúcho já mostrou ser muito promissora. É dar tempo e ter paciência para que as coisas aconteçam.

CONFIRA OUTRAS ANÁLISES DA COLUNA PAPO TÁTICO:

Massacre sobre o Olimpia é o resultado de um Internacional cada vez mais acostumado e adaptado ao “jogo de posição”

Vitória suada sobre a LDU nos apresenta um Flamengo capaz de ir ao inferno e voltar para contar a história

SIGA LUIZ FERREIRA NO TWITTER