Rodinei projeta reencontro com Rafinha e desconversa sobre volta ao Flamengo: “Ainda não falei com ninguém”

Lateral-direito está em fim de contrato e deve voltar ao Flamengo

Bruno Romão
24 anos, jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba, amante da escrita, natural de Campina Grande e um completo apaixonado por futebol. Contato: bruno.romao.nascimento@gmail.com

Crédito: Ricardo Duarte/Internacional

Em entrevista coletiva antes da final do Campeonato Gaúcho, Rodinei evitou falar sobre seu retorno ao Flamengo. Como está em fim de contrato no Internacional, o Colorado não deve comprá-lo. Dessa forma, ele deve voltar ao Rubro-Negro a partir de junho, podendo ser utilizado nos momentos de ausência de Isla.

“Nunca passei por isso (fim de contrato com futuro incerto) na minha carreira. Vou ser bem sincero: isso não me preocupa em nada. O que me preocupa é defender as cores do Inter, como fiz desde meu primeiro dia e será assim até o último. O que vai acontecer, não cabe a mim falar, mas a meu empresário e as diretorias dos clubes. Cabe a mim dar a vida a cada jogo para fazer meu melhor e deixar o Inter na melhor situação“, declarou.

“Eu nunca tinha passado por isso ainda. Ficar nessa situação de não saber meu futuro. Mas eu continuo trabalhando firme e focado no Inter, desde meu primeiro dia no clube, com muita alegria e parceria dentro e fora de campo. Serei assim até o final. Ainda não falei com ninguém do Flamengo. Se meu representante falou, não sei, não é um bom momento para me passar essas coisas. Agora é me deixar com a cabeça só no Inter, e quando acabar meu contrato vamos pensar no meu futuro para continuar vivendo minha vida nessa profissão que sabemos que não é nada fácil”, completou.

Está em dúvida sobre qual curso de faculdade escolher?

REENCONTRO COM RAFINHA

Além disso, Rodinei falou sobre o reencontro de Rafinha. Companheiros no Flamengo, os dois vã estar em lados opostos no Gre-Nal que vale o título estadual. Apesar da amizade, a boa relação vai ficar de fora quando a bola rolar.

“O Rafinha é um grande amigo. Quando ele chegou ao Flamengo, me tratou muito bem, fomos muito parceiros lá. Mas não falei com ele ainda, não. Nem quero falar. Deixa para conversar depois do jogo. Não tem brincadeira de aposta, nada. Depois do jogo, a gente vai conversar, dar abraço. Mas dentro de campo é cada um lutando pelo seu”, expressou.

LEIA MAIS

 

Quem chega e quem sai dos clubes?