Brasileirão: áudio vazado escancara novo escândalo no Cuiabá

Após a demissão de Alberto Valentim, o Cuiabá se vê novamente em uma polêmica, dessa vez o caso envolve o vice-presidente e o zagueiro Luiz Gustavo

Jeferson Macedo
Colaborador do Torcedores.com.

Foto: Foto: AssCom Dourado

Após ser acusado por Alberto Valentim de interferência nas escalações, o vice-presidente do Cuiabá, Cristiano Dresch entrou em uma nova polêmica. Em ação trabalhista movida pelo zagueiro Luiz Gustavo afirma ter sido ameaçado e e assediado moralmente pelo executivo.

O atleta cobra R$ 2,5 milhões do clube, valores referentes a verbas trabalhistas. A ação corre na 1ª Vara Trabalhista de Cuiabá. Ao processo, foi anexado um áudio, que foi divulgado pelo ge. 

Na gravação, o vice do Cuiabá chama Luiz Gustavo de “jogadorzinho de merda”“seu quebrado”“seu bosta”, “vagabundo” e ainda diz: “eu sei onde você mora”, “você tá na minha terra”, “abre essa boca sua de novo aí pra cê ver, seu vagabundo”. 

Quem chega e quem sai dos clubes?

 

Em nota, o Cuiabá diz se tratar de um caso isolado. O clube também diz que “Luiz Gustavo cometeu diversos atos de indisciplina e teve pelo menos três discussões acaloradas com funcionários”.

Confira a nota completa do clube:

“A respeito do atleta Luiz Gustavo, o Cuiabá Esporte Clube e o vice-presidente Cristiano Dresch vêm a público esclarecer os seguintes pontos:

1) Desde o início do seu contrato, o atleta Luiz Gustavo cometeu diversos atos de indisciplina e teve pelo menos três discussões acaloradas com funcionários, membros da comissão técnica e diretoria do clube;

Está em dúvida sobre qual curso de faculdade escolher?

2) Um dos episódio de violência e insubordinação ocorreu em 25.01.21. Após tentar levar documentos de seu prontuário que deveriam permanecer no clube, o jogador quis rasgar o exame periódico, tentou tirar o laudo à força da mão da médica Lívia Borges de Souza, xingou a profissional e saiu chutando a porta da sala. Após ser contido pelo então supervisor Daniel Freitas, falou em tom de ameaça ao superior: “se você quiser me ver mais bravo do que estou, não chega perto de mim”; tanto a médica como o ex-supervisor do clube estão à disposição do Grupo Globo para corroborar os fatos descritos;

3 )A conduta antiprofissional e inadequada do atleta pode ser ratificada também por vários de seus ex-companheiros e ex-superiores no clube e resultou em multa por infração disciplinar, conforme documento anexo;

4) Após ver seu clube chamado inúmeras vezes pelo jogador de “time de merda” e “time pequeno”, depois de 12 anos de sacrifício para conquistar uma vaga na elite do futebol brasileiro, Cristiano Dresch confirma que teve uma conversa ríspida com Luiz Gustavo. O dirigente, no entanto, afirma que jamais teve a intenção de ameaçá-lo ou assediá-lo e justifica sua atitude como um ato isolado de defesa à honra da instituição. Pouco antes da discussão, Luiz Gustavo havia reclamado na sala de fisioterapia, na presença de 12 pessoas, que havia “muita gente falsa” no clube e incitou seus companheiros a não seguirem os protocolos médicos;

5) Sobre a ação na Justiça, o Cuiabá reitera que quitou todas as suas obrigações contratuais, como é praxe desde sua fundação, e que rebaterá todas as acusações na Justiça”.

Mais sobre o autor: Twitter

LEIA MAIS:

Alex Teixeira acena ao futebol brasileiro e clube de Série A desponta como o favorito para contratá-lo

Surpresas, artilharia e destaques: tudo o que rolou na primeira rodada do Brasileirão

Alberto Valentim rebate rumores e revela o real motivo de sua demissão no Cuiabá

Mercado da bola: Deyverson é especulado em clube da Série A

Mercado da bola: Ricardo Oliveira entra na mira de clube paulista