Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Itália e Bélgica 100%, Inglaterra eufórica: os melhores das quartas da Euro

Confira as campanhas e como chegam as oito seleções classificadas para as quartas de final da Eurocopa 2020

Lucas Ayres
Colaborador do Torcedores

Crédito: Justin Tallis - Pool/Getty Images

A UEFA Euro 2020 chegou na sua fase de quartas de final. Apenas oito seleções seguem na briga pelo título europeu, em confrontos que prometem fortes emoções, tão grandes quanto os “loucos” jogos das oitavas de final.

Mas como chegam as seleções para essa fase? Quem chega melhor? Isso você pode dizer  conferir, a seguir, no nosso resumo especial das campanhas de cada um dos oito classificados para as quartas de final da Eurocopa 2020.

Itália e Bélgica: 100%

Apenas duas seleções seguem com a campanha impecável nesta Eurocopa: a Itália e a Bélgica. Ambas avançaram às quartas não só invictas mas com o aproveitamento 100%. Entre as duas, 17 gols marcados e apenas dois sofridos.

Os belgas foram os que tiveram a defesa vazada na primeira fase. Depois de bater a Rússia por 3 a 0, na estreia, sofrem um gol da Dinamarca na vitória por 2 a 1, na segunda rodada. Na última partida do grupo, um 2 a 0 tranquilo sobre a Finlândia. Nas oitavas, conseguiram segurar Cristiano Ronaldo, bater Portugal por 1 a 0 e avançar na competição.

Já os italianos ficaram a fase de grupos sem saber o que era tomar gols. Marcá-los, no entanto, souberam bem. Na estreia, um 3 a 0 categórico na Turquia; na partida seguinte, o mesmo placar, só que contra a Suíça. Na terceira rodada, 1 a 0, com o time reserva, contra o País de Gales. A defesa da Azzura só foi superada contra a Áustria, nas oitavas, já na prorrogação de um jogo tenso.

Inglaterra e Espanha em ascensão

As duas seleções que mais cresceram nas oitava de final foram Inglaterra e Espanha. O English Team bateu a Alemanha, superando um longo tabu em partidas eliminatórias, e fez tremer o estádio de Wembley, que o aguarda ansiosamente para uma possível final.

Na fase de grupos, no entanto, atuações pouco inspiradas contra a Croácia, na abertura, na vitória por 1 a 0; no empate sem gols no clássico com a Escócia; e na outra vitória simples contra a República Tcheca, na última rodada.

A Fúria, por sua vez, abriu o torneio com um empate sem gols contra a Suécia, empatou novamente, dessa vez por 1 a 1, contra a Polônia, na rodada 2, e começou seu viés de subida com a goleada sobre a Eslováquia por 5 a 0, no fechamento do grupo. Nas oitavas, uma partida apoteótica contra a Croácia, com 3 a 3 no tempo normal e dois gols no primeiro tempo da prorrogação.

República Tcheca e Suíça, matadores de gigantes

República Tcheca e Suíça são as duas surpresas das quartas de final da Euro. Não que não tivessem futebol para estar onde estão, mas porque eliminaram, simplesmente, Holanda e França nas oitavas, respectivamente.

Dos dois, os tchecos foram os que conquistaram sua vaga com maior propriedade. Antes de despachar os holandeses com um sólido 2 a 0, conquistaram sua classificação ao mata como um dos melhores terceiros colocados. A vitória contra a Escócia, por 2 a 0, na primeira rodada, foi decisiva; o empate em 1 a 1 com a Croácia, na segunda rodada, definitivo.

Os suíços, por sua vez, superaram os atuais campeões do mundo nos pênaltis das oitavas de final,  mas não sem antes ir buscar o empate em 3 a 3 no tempo normal, depois de ficar em desvantagem de 3 a 1 no placar. Também foram ao mata-mata como um dos melhores terceiros colocados, empatando com o País de Gales, na primeira rodada, em 1 a 1, e vencendo a Turquia, por 3 a 1, na última rodada da fase de grupos.

Ucrânia e Dinamarca, em busca de campanhas históricas

A maneira como Ucrânia e Dinamarca se classificaram para as quartas da Euro não é muito similar. Os ucranianos, por exemplo, foram os piores entre os quatro melhores terceiro colocados, avançando somente pelo saldo de gols — que era -1, aliás. Só somaram três pontos, ao vencer a Macedônia do Norte, por 2 a 1, na segunda rodada.

Nas oitavas, porém, precisaram de um gol no último minuto do tempo normal da prorrogação para bater a Suécia e seguir para as quartas.

Os dinamarqueses foram à fase eliminatória na segunda colocação do seu grupo, ainda que com três pontos. Depois de perder para Finlândia e Bélgica, golearam a Rússia por 4 a 1 em um jogo memorável em Compenhagen. O desempenho encheu a seleção nórdica de confiança, que praticamente repetiu o feito ao fazer 4 a 0 no País de Gales, nas oitavas de final.

Um aspecto, porém, une Ucrânia e Dinamarca: as campanhas que podem entrar para a história. Ucranianos, na verdade, já estão em um momento especial para o futebol do seu país, que até esta competição, nunca tinha avançado para um mata-mata.

Dinamarqueses, por sua vez, jogam por Christian Eriksen, que logo na primeira rodada sofreu uma parada cardíaca em campo. O meia sobreviveu mas, claro, foi retirado do torneio e, talvez da sua carreira como jogador de futebol profissional. Um motivação nobre, de fato.

Os confrontos das quartas de final da Euro 2020

  • Suíça x Espanha (2/7 – 13h)
  • Bélgica x Itália (2/7 – 16h)
  • República Tcheca x Dinamarca (3/7 – 13h)
  • Ucrânia x Inglaterra (3/7 – 16h) 

LEIA MAIS

Euro: com CR7 fora, confira quem segue na briga pela artilharia

Euro: Sterling é responsável por 75% dos gols da Inglaterra

Euro: vitória épica da Suíça contra a França quebrou tabu de 29 anos

Jogão da Espanha foi o segundo com mais gols da história da Euro