Mercado da Bola: Diretor do Atlético-MG abre o jogo e fala sobre Marinho

Rodrigo Caetano respondeu se existe ou não interesse do Atlético no atacante do Santos

Eder Bahúte
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Divulgacao/Santos

Nos últimos dias, o nome de Marinho ganhou repercussão como um eventual reforço do Atlético para a sequência da temporada. Com a possibilidade de perder Savarino, alvo de clubes da Espanha, a direção do Galo teria definido o atacante do Santos como um possível substituto.

O diretor de futebol do Atlético, Rodrigo Caetano, admitiu ter feito uma consulta pelo jogador de 31 anos, mas bem no início do seu trabalho, em meados de janeiro/fevereiro. Além disso, o dirigente garantiu que não será tarefa fácil levar atletas do Galo. Recentemente, cogitou-se que Nathan e Marrony estariam na mira dos santistas.

“O que eu posso dizer é que em janeiro, logo que cheguei fizemos uma consulta [Marinho] com possibilidade após a Liberadores. Os números eram inviáveis e nunca mais se falou a respeito. Se o Santos possui algum interesse em um jogador nosso, dificilmente sai por empréstimo, para fortalecer algum outro clube. A não ser que envolva alguma questão financeira ou oportunidade que seja interessante para nós”, disse o dirigente em entrevista ao jornalista Afonso Alberto.

Está em dúvida sobre qual curso de faculdade escolher?

Veja também: Atlético-MG deve mudar contra o Sport; veja a provável escalação

“Esta questão do Marinho foi uma situação que ocorreu lá atrás, nunca mais conversamos a respeito. Ninguém duvida da capacidade do jogador, mas não há nenhuma negociação. E volto a dizer, se algum clube brasileiro ou exterior tiver interesse em algum atleta nosso, precisa ser vantajoso para o Galo. Penso eu que quem conseguir manter seu elenco possui chances maiores de conquistar títulos”, completou.

Presidente do Atlético, Sérgio Coelho já declarou que teme perder zagueiros para o exterior. O mandatário alvinegro, inclusive, citou Igor Rabello como alvo de muitas sondagens. Cuca, ciente, discute internamente a possibilidade de adicionar uma peça para o setor.

LEIA MAIS:

Mercado da Bola: Galo formaliza oferta por meio-campista