Neto resgata foto jogando no presídio Carandiru com detentos e impacta fãs: “poucas vezes fui tão bem tratado”

Apresentador do programa “Os Donos da Bola”, da Bandeirantes, vivia o auge no Timão quando esteve no presídio para jogo festivo

Cido Vieira
Jornalista formado e apaixonado por futebol desde criança. No Torcedores.com desde o ano de 2017, já acumulei diversas funções no site e atualmente me dedico a cobertura do futebol nordestino. No Twitter (@cidovieira90)

Crédito: Reprodução - Bandeirantes

O ex-jogador e atualmente apresentador, Neto utilizou suas redes sociais nesta semana para resgatar um fato que poucas pessoas que o acompanham tiveram conhecimento. Em post feito no Instagram, o ídolo do Corinthians publicou uma foto de um jogo realizado dentro do antigo presídio Carandiru, na década de 1990, meses antes de ocorrer o marcante massacre no interior da penitenciária.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

Em uma partida festiva, ocorrida em 1991, o time comandado pelo camisa 10 do Timão, que vivia uma exímia fase na carreira, venceu os presidiários pelo placar de 2 a 0, e os dois tentos foram anotados por Neto.

“#tbt de um dia jogando bola no antigo presídio do Carandiru. Apesar do aparente clima tenso, poucas vezes fui tão bem tratado. Isso aconteceu em 1991, quando eu estava no auge no Corinthians. Ah, a partida contra os presos foi 2×0 com dois gols meus de falta”, publicou o apresentador da TV Bandeirantes.

“Impossível imaginar isso hoje em dia. Essa foto demonstra perfeitamente o que é um futebol raiz”, disse um seguidor. “Parabéns Craque Neto. Não sabia disto! Grande mostra de solidariedade, humildade, compaixão com o próximo”, pontuou outro.

OUTROS TEMPOS 

Naquela época, ao término da temporada regular, jogadores costumavam se reunir para bater uma bola na tradicional “pelada”. Contudo, diferentemente do que ocorre atualmente, não havia jogos de Amigos de um x Amigos de outro.

E desde aquela época, como reza a tradição do futebol, final de temporada é tempo da boleirada se reunir e jogar aquela pelada. Só que ainda não tinha essa coisa de Amigos de um contra Amigos de outro, e os jogos ocorriam distante de palcos conhecidos do cenário nacional, como Maracanã, Pacaembu, Morumbi.

Fazendo uma mescla de ex-jogadores renomados e atletas em alta no futebol naquele momento, o Milionários aceitou realizar um jogo no maior presídio do país, com cerca de oito mil presos, e a partida foi um sucesso.

LEIA MAIS: