Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Olímpiada de Tóquio: Quais as chances de medalha para o Brasil?

Restando 1 mês para o início dos Jogos Olímpicos, em Tóquio, você confere a seguir um material completo, avaliando quais são as chances de medalha para a delegação brasileira.

Murilo Castanho
Jornalista em formação, apaixonado pelo esporte e por boas histórias!

Crédito: Divulgação / Site oficial COB

Unindo momento, carreira e a possibilidade perante aos outros adversários, reuni um ranking com os principais nomes que podem trazer ótimas pontuações para o Brasil no Japão.

MEDALHA DE OURO

Para começar, os favoritos a levar o ouro. Dentre todas as modalidades, vou analisar quais são os nomes mais fortes atualmente.

PÂMELA ROSA (SKATE) – Além dela, que foi campeã mundial da modalidade, em 2019, o skate feminino pode render até 3 medalhas para o Brasil. Isso porque a segunda e terceira colocadas nesse Mundial também são brasileiras. Pâmela, Rayssa e Letícia são os nomes dessa disputa acirrada, que terá como principais concorrentes as atletas estadunidenses e japonesas. Olho aberto nas holandesas também;

ISAQUIAS QUEIROZ E ERLON SOUZA (CANOAGEM) – Mais um campeão mundial por aqui. Isaquias levou a melhor sobre todos os outros competidores na prova de C1 1000m, em 2019. Erlon Souza se uniu a ele e levaram o bronze, no Mundial de C2 1000m;

BEATRIZ FERREIRA (BOXE) – Campeã mundial e em alto estilo. Vitória por 5 a 0 na decisão, em 2019. Beatriz vem para essa Olímpiada com sede de vitória, pois esteve no Rio em 2016, porém sem disputar. Foi apenas para acompanhar o evento. Conseguiu esse privilégio devido a um projeto, que levou atletas não classificados para dentro do torneio, podendo assim sentir a emoção de estar acompanhando;

ÍTALO FERREIRA (SURFE) – Vivendo um momento melhor do que seu compatriota Gabriel Medina, Ítalo foi campeão mundial (com vitória em cima de Medina) e primeiro colocado no ISA Games, que é um evento que simula a disputa pelas medalhas em Tóquio. Portanto, chega como favorito para conquistar o ouro;

MARTINE GRAEL E KAHENA KUNZE (VELA) – Apesar de terem ficado quase 1 ano inteiro sem disputar campeonatos, após a Olímpiada do Rio, a dupla atual campeã olímpica se mostrou ainda muito entrosada em seu retorno. 4ª posição no Mundial de 2018 e campeã de 3 eventos importantes nesse ciclo.

CANDIDATOS AO PÓDIO

Dando sequência ao material, vou te apresentar os nomes que não figuram como grandes favoritos em suas modalidades, porém podem chegar até as grandes decisões e beliscarem uma ou outra medalha.

GABRIEL MEDINA (SURFE) – Um dos motivos pelo salto de qualidade e desempenho do Brasil na modalidade, Medina vem forte para a disputa em Tóquio. Campeão mundial por 2 vezes, foi vice de Ítalo Ferreira, em 2019. No último Mundial disputado, ficou com a 3ª posição e garantiu vaga nos Jogos Olímpicos;

RAYSSA LEAL (SKATE) – Outra figura já citada nesse ranking, a jovem garota de apenas 13 anos surpreendeu todo o mundo ao ser vice campeã mundial, em 2019. Uma observação importante a ser feita é que nessa categoria não há limite de idade, o que explica a participação da jovem talentosa brasileira nessa modalidade;

SELEÇÃO MASCULINA (FUTEBOL) – Atuais campeões olímpicos, o Brasil chega com outra safra muito boa. Alguns nomes que vale a pena destacar: Daniel Alves, Gerson, Claudinho, Pedro. Com toda essa galera, será que o Brasil fatura o bicampeonato em Tóquio?;

VÔLEI MASCULINO (VÔLEI) – Além da tradição, os atletas comandados por Renan Dal Zotto vêm num ótimo momento nesse ciclo olímpico. Um vice e um título em 2 dos principais torneios disputados colocam nomes como Bruninho, Douglas Souza, Wallace, Lucão e Evandro entre os possíveis medalhistas olímpicos;

ANA MARCELA CUNHA (MARATONA AQUÁTICA) – Na preparação para essa Olímpiada vieram, pasmem, 8 títulos relevantes e 2 vices! No Mundial de 2019 ficou fora do pódio, mas todo esse estofo é suficiente para colocar a baiana de 29 anos entre as favoritas a pontuar para o Brasil.

PODEM CHEGAR

Para finalizar, vou falar sobre alguns atletas que podem figurar no pódio, apesar de não viver o melhor momento, principalmente quando comparados aos seus adversários na modalidade.

ÁGATHA E DUDA (VÔLEI DE PRAIA) – Tendo altos e baixos durante esse ciclo, a dupla foi campeã do Mundial em 2018 e chegam em Tóquio buscando estar entre os principais nomes do torneio;

ARTHUR NORY (GINÁSTICA ARTÍSTICA) – Mesmo com alguns problemas físicos, o brasileiro vem de uma medalha nos Jogos do Rio, em 2016. Em 2019 foi campeão mundial, com uma apresentação impecável. Seu ponto forte é a barra fixa;

FERNANDO REIS (LEVANTAMENTO DE PESO) – Difícil de bater um georgiano, que é o candidato com maior favoritismo a medalha de ouro nessa modalidade. Porém, Fernando figura entre os maiores nomes da categoria há vários anos, podendo beliscar uma ou outra medalha;

MAYRA AGUIAR (JUDÔ) – Outra atleta que sofreu muito com lesões ao longo da sua carreira, a judoca brasileira chega em Tóquio para disputar o pódio. Com 9 medalhas conquistadas em 2019, Mayra conquistou a 3ª colocação no Mundial;

ARTHUR ZANETTI (GINÁSTICA ARTÍSTICA) – Assim como alguns nomes já citados, Arthur é outro que convive com sérias lesões. No entanto, o ginasta dispensa apresentações e sempre chega entre os favoritos em qualquer Olímpiada que disputa.

Finalizando o material, ficamos na esperança de um grande torneio e de superar a marca histórica de 19 medalhas em uma Olimpíada, que foi atingida no Rio de Janeiro, em 2016. Para isso, vamos acompanhar todas as modalidades e trazer sempre as novidades, resumos e atualizações relevantes a respeito da disputa.

LEIA MAIS

REPRESENTANTES DO BOXE BRASILEIRO E A ASCENSÃO EM OLÍMPIADAS

BRASIL ALCANÇA MARCA DE 22 MEDALHAS EM COMPETIÇÕES MUNDIAIS