Pia Sundhage elogia defesa do Brasil, mas aponta necessidade de melhorar o ataque da seleção

Treinadora acredita que o meio de campo do Brasil não criou tantas chances no empate sem gols contra o Canadá

Flavio Souza
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Divulgação / Richard Callis / CBF

Na última segunda-feira (14), a seleção feminina do Brasil fez seu último teste antes dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Após o duelo a técnica Pia Sundhage elogiou a defesa da equipe, e também o ritmo e a velocidade dentro de campo, embora tenha ressaltado que alguns pontos precisam ser melhorados, como as finalizações no ataque.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

Eu acho que somos boas no jogo aéreo, se você olhar para o Canadá verá que elas também são boas nisso, e nós conseguimos fazer um bom jogo. Eu gostei da nossa organização, energia e atitude. Nós não demos muitas chances pra elas, e isso é difícil, tivemos essa confiança de que não demos tantas chances de gol. Acho que fomos muito bem na defesa e ganhamos muita confiança com isso. Sobre o ataque, eu acho que precisamos criar chances no meio-campo e, algumas vezes, faltou essa conexão, mas, quanto mais treinarmos mais aperfeiçoaremos isso”, declarou Sundhage.

O que esperar do Brasil nas Olimpíadas?

Pia Sundhage também falou sobre a expectativa sobre a medalha de ouro e ressaltou que “tudo pode acontecer”. Além disso, ela ressaltou novamente a importância de treinar as construções defensivas e ofensivas. A sueca também explicou o porquê dos testes com as jogadoras na lateral direita, e disse estar satisfeita com as respostas.

“O motivo de testarmos jogadoras na direita é porque eu não estava satisfeita. Eu realmente quero ter algumas respostas e opções. Letícia jogou o primeiro jogo e agora nós testamos duas jogadoras diferentes. É muito importante essa competitividade para a gente ver como elas se saem, tanto defensivamente quanto atacando. Agora nós temos as respostas, estamos prontas para ir às Olimpíadas com seis defensoras e uma delas também será uma reserva”, explicou Pia.

A técnica do Brasil também falou sobre a expectativa para a lista das convocadas para Tóquio. Para essas duas partidas, Pia levou 25 atletas, mas agora só poderá chamar 18 atletas e quatro suplentes.

“Sobre as Olimpíadas, eu não acho que jogaremos com atletas iguais nos três jogos. Isso não é possível. Nós temos apenas dois dias pra se recuperar, mas espero que tenhamos a mesma ou quase a mesma convocação. Eu acho que todas as jogadoras são importantes, incluindo as do banco. São elas que usaremos para mudar o jogo, e hoje estou muito feliz com algumas delas”, finalizou.

LEIA MAIS:

Andressinha admite “ansiedade” pela convocação após ser titular nos dois últimos amistosos

Marta é estrela da campanha “N Motivos”, lançada pela Neo Química